Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 24/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 24/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Delegação de Israel chega ao Egito para negociar trégua com palestinos

media Palestinos em frente de um prédio residencial destruído por bombardeio israelense. 11 de agosto de 2014. REUTERS/Mohammed Salem

Uma nova delegação de Israel chegou ao Cairo na manhã desta segunda-feira (11) para encontrar os representantes palestinos. A rodada de negociações indiretas é mediada pelo Egito. O cessar-fogo de 72 horas na Faixa de Gaza entrou em vigor à meia-noite, no horário local.

A nova tentativa de negociar um cessar-fogo duradouro na Faixa de Gaza começa hoje em clima de tensão. Israel alertou que a sua participação nas negociações está condicionada a um respeito à trégua temporária. O premiê Benjamin Netanyahu reiterou que Israel não irá negociar “sob tiros [do Hamas]”.

Já o porta-voz do movimento islâmico que controla o território palestino, Sami Abou Zouhri, afirmou que as conversas de hoje são a “última chance” para se chegar a um cessar-fogo definitivo. Os palestinos exigem, como uma das principais condições, a suspensão do bloqueio imposto pelo Egito e por Israel à Gaza.

As negociações indiretas acontecem entre Israel e o grupo palestino composto por membros do Hamas, mas também da Jihad Islâmica e do Fatah. Os esforços para chegar a uma solução diplomática foram intensificados depois do fim da última trégua, de três dias, que expirou na manhã de sexta-feira.

Mulher chora a morte dos pais causado por um um bombardeio aéreo neste domingo (10) em Khan Younis na Faixa de Gaza. REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa

Novas mortes no final de semana

Até agora a ofensiva Limite Protetor, lançada por Israel no início de julho, já deixou 1.939 mortos no campo palestino, de acordo com os serviços de socorro locais. A ONU calcula que quase três quartos das vítimas eram civis. E, segundo o Unicef, ao menos 447 delas eram crianças ou adolescentes. Do lado israelense, 64 soldados e três civis foram mortos desde 8 de julho.

A guerra também teve repercussões na Cisjordânia, que foi palco de manifestações e confrontos com as forças armadas de Israel. Cerca de 15 palestinos morreram. Ontem, uma criança palestina de 11 anos foi morta pelo exército israelense em um campo de refugiados perto de Hebron. As circunstâncias da morte ainda não foram esclarecidas.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.