Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Rajoy vê futuro com otimismo, apesar do desemprego na Espanha

media O premiê espanhol Mariano Rajoy REUTERS/Andrea Comas

O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, fez previsões positivas para o crescimento econômico do país, na abertura do debate anual sobre o estado da Nação nesta terça-feira (25). Mesmo com o desemprego no pico mais alto, Rajoy acredita que vai sair da crise.  

"O crescimento econômico da Espanha será de 1% em 2014 e de 1,5% em 2015", afirmou o chefe do governo espanhol, sem deixar de reconhecer que a questão do desemprego é grave e deve ser combatida. A previsão ofical da alta do PIB para 2014 é de 0,7%.

Para Rajoy, a Espanha mudou sua imagem diante da Europa. "De um peso, passamos a ser um motor da União Europeia", ele disse, apontando a melhora dos índices econômicos. Entre eles, um recorde histórico das exportações e do turismo.

Os juros, que atingiram os índices mais altos em 2012 e fizeram o país pedir socorro econômico às instituições europeias, baixaram de forma relevante. "A possibilidade da salvação financeira, o abandono do euro, a falta de confiança, nada mais disso faz sentido hoje", disse o premiê.

Desemprego histórico

Apesar das boas previsões, Mariano Rajoy evita o otimismo exagerado que, segundo ele, seria inadequado com uma taxa de desemprego de 26% no país, que afeta metade dos jovens. "Eu não ficarei satisfeito enquanto o pior cenário, que é a crise do desemprego, não começar a diminuir fortemente", afirmou Rajoy.

Depois do ano de 2012 ter sido marcado por grandes tensões nos mercados, a Espanha, quarta economia do zona do euro, beneficia há alguns meses de uma calmaria. Os investidores se sentem mais seguros com a ajuda europeia de €41,3 bilhões a seus bancos, além do apoio do Banco Central Europeu, que se compromoteu a comprar a dívida dos países da zona euro que estiverem em dificuldades.

A Espanha saiu de dois anos de recessão no terceiro trimestre de 2013. A agência de notação financeira Moody's elevou o índice do país a "BAA2 "em 21 de fevereiro.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.