Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Aperto de mãos entre Obama e Raúl Castro é vitória póstuma de Mandela, diz L’Humanité

media Capa dos jornais franceses Les Echos, La Croix e L'Humanité desta quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

A homenagem planetária a Nelson Mandela ontem em Johanesburgo está estampada nas primeiras paginas dos principais jornais franceses desta quarta-feira, 11 de dezembro de 2013. A imprensa de hoje também destaca a viagem relâmpago do presidente François Hollande à República Centro Africana, para encontrar as tropas francesas que atuam no país desde a semana passada e homenagear os dois primeiros soldados mortos nessa intervenção.

A foto da homenagem a Nelson Mandela ontem no estádio Soccer City ilustra a primeira pagina de vários jornais. Les Echos diz que Johanesburgo foi ontem o centro do mundo O L'Humanité publica inclusive um número especial sobre a cerimônia. "O Planeta Mandela", assim o jornal comunista resume a homenagem de ontem.

Para o L'Humanité, a homenagem ao "símbolo globalizado" do primeiro presidente negro da África do Sul foi histórica e intensa. Apesar da chuva, ela reuniu centenas de chefes de Estado ou de governo e milhares de pessoas que dançaram e choraram em memória do herói da luta antiapartheid.

Vitória póstuma

O jornal lembra que alguns líderes mundiais presentes apoiaram a segregação racial na África do Sul e chegaram a tratar Mandela de terrorista. A presença deles na cerimônia de ontem prova que eles perderam. L'Humanité ressalta ainda uma vitória póstuma de Mandela, o aperto de mão entre o americano Barack Obama e o cubano Raúl Castro.

Le Figaro também dá destaque para o aperto de mãos entre os dois presidentes, o primeiro desde que Estados Unidos e Cuba romperam relações diplomáticas oficiais em 1961. Um sinal de abertura que poderia ser seguido de gestos concretos, acredita o jornal conservador.

Obama aplaudido

O La Croix analisa o discurso “emocionante e sincero” de Barack Obama na cerimônia de ontem. O presidente americano disse que Mandela, assim como Martin Luther King, orientou sua vida e engajamento político. Obama aproveitou para lembrar que alguns líderes presentes ainda não tinham aderido à luta de Mandela e não respeitavam o direito de seus opositores e foi aplaudido. Sua história, mais do que seu discurso, demonstra que Obama só pode chegar onde está porque outros homens lutaram pela liberdade, afirma o jornal Católico.

Hollande na República Centro-Africana

Depois de participar da homenagem a Mandela na África do Sul, o presidente francês François Hollande fez uma visita relâmpago à Republica Centro-Africana. “Hollande no fogo cruzado de Bangui” é a manchete do Le Figaro. No aeroporto da capital centro-africana, o presidente se recolheu diante do caixão dos dois soldados franceses mortos no país e disse que a França sabia que a operação, lançada na semana passada, era perigosa. Mas essa intervenção é necessária e vai continuar, garantiu o presidente

Libération avalia que essa é uma operação arriscada. O exército francês está sozinho nesse país completamente dividido e dirigido por um governo de transição após o golpe de Estado de março. Apesar da presença dos 1.200 soldados franceses, a violência continua e a capital Bangui foi palco ontem de uma verdadeira "caça ao muçulmano" por milícias católicas, informa o jornal.

 
O tempo de conexão expirou.