Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Supertufão Haiyan deixou mais de 1.200 mortos, estima a Cruz Vermelha

media Imagem de destruição na cidade portuária de Tacloban após a passagem do supertufão Hayan. REUTERS/Romeo Ranoco

Milhares de soldados foram enviados na manhã deste sábado às zonas afetadas pelo tufão Hayan, considerado o mais violento ciclone do ano. Mesmo se as autoridades filipinas anteciparam a tragédia e retiraram mais de 125 mil pessoas das regiões em perigo, a Cruz Vermelha local estima que cerca de 1.200 pessoas perderam a vida, principalmente na cidade portuária de Tacloban, capital da província de Leyte, no centro do arquipélago.

 

Com ventos de mais de 315 km/h, Hayan, considerado o tufão mais potente do ano, arrasou tudo em sua passagem. Um dos exemplos mais dramáticos é a cidade portuária de Tacloban, cuja vista aérea é uma paisagem de total destruição. Em outros vilarejos vizinhos, ondas de vários metros de altura e  tempestades com ventos fortíssimos também causaram um grande número de mortes. 

Várias áreas atingidas se encontram isoladas como o porto de Guiuan, porta de entrada do supertufão.

As autoridades calculam que 800 mil pessoas foram afetadas pelo Hayan no centro do país. As linhas de comunicações e as redes de eletricidade foram destruídas e os transportes terrestres e aéreos estão suspensos.

Drama humanitário

O governo filipino informou que cerca de 125 mil pessoas de 22 províncias estão abrigadas em 109 abrigos de emergência.

As imagens transmitidas pelas televisões locais mostram dezenas de corpos espalhados pelas estradas de Tacloban. Uma tragédia a mais para os filipinos que, no mês passado, foram atingidos por um tremor de terra. Mais de cem mil pessoas já estavam refugiadas em centros antes da chegada de Hayan.

Depois de arrasar as Filipinas, o supertufão prossegue sua rota. Mesmo se perdeu um pouco de sua força, poderá se revigorar ao atravessar o Mar da China. Hayan se dirige à costa do Vietnã, onde 100 mil pessoas receberam ordem de deixar suas casas. Laos e o sul da China também estão no caminho do fenômeno.

 

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.