Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Justiça manda destruir maior acampamento de ciganos de Marselha

media Imagem de uma família de ciganos, em Roubaix, no norte da França. REUTERS

Nesta segunda-feira, em Marselha, no sul da França, escavadeiras invadiram o maior acampamento de ciganos da cidade. Cerca de 400 pessoas viviam no local, segundo associações caritativas da cidade. A destruição do local foi decidida pela justiça há três meses.

As famílias que viviam clandestinamente no bairro da Capelette já haviam se retirado do local que ocupavam há um ano. A chegada dos tratores para derrubar os alojamentos improvisados revoltou a Liga dos Direitos Humanos local. "Os poderes públicos continuam a tratar o problema dos ciganos de forma violenta, discriminatória e sem respeito aos direitos fundamentais", lamentou Jean-Claude Aparicio, vice-presidente da Liga.

Para as associações que se ocupam dos menos favorecidos, "os ciganos desalojados vão engrossar a população de outros acampamentos selvagens de Marselha, tornando suas condições de vida mais sórdidas ainda". A justiça francesa havia ordenado em 31 de julho o esvaziamento do acampamento devido à ocupação ilegal do terreno, dando um prazo de dois meses para a partida dos ocupantes.

Ciganos na França

Cerca de 2.000 ciganos vivem no departamento Bouches-du-Rhône, dos quais 1.500 em Marselha.

Calcula-se que 20 mil ciganos vindos da Bulgária e da Romênia vivem atualmente em 400 acampamentos espalhados pelo território francês. Segundo a ONG Anistia Internacional, a minoria continua sendo vítima de expulsões que violam o direito internacional em matéria de Direitos Humanos.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.