Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Roubos aumentam na França e agricultores querem fazer justiça com as próprias mãos

media Flickr/ Creative Commons

Os primeiros resultados positivos dos planos de austeridade para os países da zona do euro, a revolta dos agricultores franceses diante do aumento da violência no campo e a condenação da justiça a um pai que bateu no seu filho de 9 anos estão entre as manchetes da imprensa francesa desta quarta-feira.  

O Les Echos lembra que Grécia, Portugal, Espanha e Irlanda nunca vão esquecer os anos de austeridade impostos pela Europa e pelo FMI em troca de ajuda financeira. As medidas provocaram grandes impactos econômicos e sociais e levaram milhões de pessoas ao desemprego. Mas o saneamento orçamentário e a queda de demanda interna permitiram ao conjunto da zona do euro resolver o problema dos déficits externos que chegaram ao fundo do poço antes da crise. Mas hoje, após essas medidas sem precedentes adotadas pelos países mais endividados do bloco, a volta do crescimento econômico pode ser anunciada já a partir do ano que vem, afirma Les Echos. Segundo o jornal, com excessão da Grécia, Espanha, Irlanda e Portugal já ficarão livres da tutela do FMI e da União europeia a partir do final deste ano e início do ano que vem e poderão voltar a se financiar nos mercados financeiros.

Agricultores em crise

Os agricultures franceses estão profundamente revoltados com os roubos que se multiplicam na zona rural, afirma o Le Figaro em sua manchete. Desde o início do ano, cerca de 8 mil roubos e furtos foram registrados no campo incluindo máquinas agrícolas, animais e até as colheitas. Os agricultores são vítimas de quadrilhas organizadas que enviam a carga roubada para o exterior, principalmente para o leste da Europa e para a África. O Le Figaro constata que o trabalho da polícia é considerado insuficiente pelos agricultores por isso eles pensam em fazer justiça com as próprias mãos.

Pai violento

Um tribunal de Limoges na região central da França condenou um pai de 44 anos a pagar uma multa de 500 euros, o equivalente a 1.500 reais por ter batido no seu filho de 9 anos. Em entrevista ao Aujourd'hui en France, Lionel Lacante, de 44 anos, admitiu ter dado de 8 a 9 palmadas no seu filho, mas considera exagerada a decisão da justiça que considerou a violência física uma humilhação para a criança. Lionel disse que bateu no seu filho pela segunda na vida e não mostrou arrependimento, considerando até que melhorou sua relação com ele. Lionel afirma que não pretende voltar a agredir seu filho futuramente e exclui ser um pai violento.

AF 447

Mais de quatro anos após o drama do voo Rio-Paris da Air France que deixou 228 mortos, a agência francesa que investigou as causa do acidente apresentou aos familiares das vítimas durante reunião em Paris, um relatório sobre as 41 recomendações feitas para melhorar a segurança dos voos. As principais, lembra o jornal, foram a troca das sondas Pitot, a formação dos pilotos e a localização do aparelho. O diretor do BEA afirma que houve avanços em cada um desses pontos. Um representante da associação francesa confirmou que as recomendações do BEA são uma boa coisa mas questiona porque a agência não investigou problemas com as sondas Pitot antes, diante de tantos incidentes identificados antes mesmo do drama do AF 447.
 

 
O tempo de conexão expirou.