Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Oceanos viram foco das preocupações dos climatologistas

Oceanos viram foco das preocupações dos climatologistas
 
Elevação do nível do mar pode atingir cidades costeiras com milhões de habitantes, alertam cientistas. Flickr/ealmats

As conclusões do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, o grupo de referência mundial sobre estudos do clima, reunido em Estocolmo, só serão conhecidas nesta sexta. Porém versões preliminares do relatório indicam que a preocupação dos cientistas com o aumento do nível do mar se intensificou.

Ao contrário do que se imaginava há seis anos, quando o IPCC publicou as suas ultimas constatações, os oceanos podem registrar uma subida de 80 centímetros até 2100, e não mais no máximo 59, como se previa. Esta alteração provocaria consequências dramáticas para as populações de ilhas do Pacifico, mas também para grandes cidades costeiras de todo o planeta.

O físico especialista em oceanos Edmo Campos, da Academia Brasileira de Ciências, é um dos autores do relatório do IPCC. Ele ressalta que o mundo está tomando consciência sobre a importância dos mares para compreender as mudanças climáticas. “Está havendo um despertar para o oceano, até na própria comunidade cientifica. E isso é de vital importância porque o oceano é um dos principais agentes das mudanças climáticas”, explica. O documento que será divulgado amanhã deve trazer constatações sobre o Atlântico Sul, com incidência no Brasil, conforme Campos.

Outro ponto que os cientistas estão se debruçando é explicar por que o aquecimento global registrou uma “pausa” nos últimos anos. O climatologista do Inpe José Marengo, da Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas, é outro cientista brasileiro que participou deste grande estudo internacional. Para ele, este “hiato” no aquecimento era previsto.

“É algo que já foi estudado e aparece nos relatórios. Algumas áreas do mundo tem tido um resfriamento nos últimos anos, como a Groenlândia e a costa do Peru e do Chile. Mas todas as outras regiões do mundo mostram aquecimento”, destaca.

Marengo lamenta que, apesar de os estudos científicos comprovarem cada vez mais a influência das ações do homem sobre o clima, os governantes permanecem surdos aos apelos dos climatologistas. “Agora vai haver impacto em todo mundo, com todos os governos se pronunciando, dizendo que o clima é problemático. O problema é depois. A agenda ambiental passou para um segundo plano, porque a agenda econômica está no primeiro.”

A próxima Conferência de Mudanças Climáticas da ONU acontece de 11 a 22 de novembro, em Varsóvia, na Polônia.
 


Sobre o mesmo assunto

  • Suécia/ clima

    Aquecimento pode causar aumento do nível do mar maior que o previsto

    Saiba mais

  • ONU/clima

    Aquecimento global ameaça o planeta, dizem representantes no Painel do Clima

    Saiba mais

  • Suécia/Clima

    Especialistas tentam explicar desaceleração do aquecimento global

    Saiba mais

  • Suécia/ conferência

    Cientistas confirmarão responsabilidade do homem no aquecimento global

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.