Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 18/01 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 18/01 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 18/01 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 17/01 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 17/01 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 17/01 14h00 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 13/01 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 13/01 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Niemeyer marcou a paisagem francesa com obras emblemáticas

Niemeyer marcou a paisagem francesa com obras emblemáticas
 
A Casa de Cultura em Le Havre, projetada por Oscar Niemeyer, homenageará o arquiteto, que morreu nesta quarta-feira (5). wikipédia

Oscar Niemeyer, o arquiteto brasileiro conhecido mundialmente por ter dado leveza ao concreto armado, deixa mais de 600 obras espalhadas pelo mundo. Na França, onde se exilou durante a ditadura militar no Brasil, Niemeyer deixou suas marcas na paisagem, com um legado de quase vinte obras. Entre elas, algumas emblemáticas, como a sede do Partido Comunista Francês, a Bolsa de Trabalho da cidade de Bobigny, na periferia de Paris, e o Centro de Cultura do Havre, conhecido como "o Vulcão". Todas elas com um cunho social e político tão reivindicado por este comunista perceverante.

Em entrevista ao jornal L'Humanité em 2007, o arquiteto disse que amava a França e os amigos que fez aqui como o filósofo e escritor, Jean Paul Sartre, e o escritor e ministro da Cultura durante o governo de De Gaulle, André Malraux, idealizador do Centro de Cultura da cidade do Havre, uma obra pioneira e inovadora, que saiu do papel em 1982. O projeto tinha o objetivo de descentralizar a cultura na França, como nos explica seu diretor, Jean François Driant.

Outra obra de Niemeyer em Paris que aliou suas convicções políticas a sua arte, foi a sede do Partido Comunista Francês, projetado em 1965 e inaugurado seis anos depois. Tombado como patrimônio histórico da cidade, a sede do PCF é o prédio mais visitado durante a jornada do patrimônio francês, que ocorre cada ano, em setembro.

O jornal comunista L'Humanite, também confiou o projeto de sua sede ao arquiteto brasileiro. O prédio, construído em Saint Dennis, no norte de Paris, foi inaugurado em 1989. Sua fachada e tetos também foram inscritos no patrimônio da cidade no mesmo ano. Devido a dificuldades financeiras, o jornal vendeu seu prédio em 2008, mas o edifício concebido por Niemeyer continua sendo considerado a sede histórica do jornal.

O país que Niemeyer tanto amou rende homenagem ao arquiteto nos próximos dias. Os presidente do PCF, Pierre Laurent, anunciou que o partido organizará jornadas de portas abertas para que os franceses possam visitar a obra do arquiteto. Já o Centro de Cultura do Havre deve exibir filmes da construção da obra e entrevistas do arquiteto recentes, feitas no Rio de Janeiro.

 


Sobre o mesmo assunto

  • Niemeyer/Morte

    Arquitetos célebres reagem à morte de Niemeyer

    Saiba mais

  • Niemeyer/Morte

    Classe política francesa enfatiza importância do legado de Niemeyer

    Saiba mais

  • Morte/Niemeyer

    França homenageia a genialidade de Oscar Niemeyer

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.