Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 16/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 16/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 16/12 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 16/12 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 16/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 16/12 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 15/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 15/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Libération informa pacificação oficial da Rocinha

media Imprensa francesa destaca pacificação da Rocinha, nesta sexta-feira (21). RFI

A imprensa francesa destaca nas manchetes de hoje temas da área econômica na França. O jornal progressista Libération traz uma reportagem do correspondente no Rio de Janeiro informando que "a polícia carioca ocupa de forma permanente a Rocinha, a maior favela do Brasil".

"Depois de passar 30 anos nas mãos dos traficantes, a Rocinha tombou", diz o Libération, contando que os narcotraficantes que andavam pelas ruelas do Morro dos Dois Irmãos com armas de guerra em punho desapareceram. A reportagem coincide com a inauguração da nova unidade da UPP no morro, onde 700 policiais tomaram posse em suas funções.

Libération afirma que a estratégia de pacificação das favelas, visando diminuir a violência no Rio para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, é um sucesso indiscutível. O jornal francês destaca, no entanto, que nem todos os cariocas estão satisfeitos. "As UPPs estão instaladas principalmente nas favelas da zona sul, a mais rica da cidade, em detrimento dos bairros pobres da zona norte, onde os traficantes se refugiaram", escreve o Libération. "A violência migrou para essa região já desfavorecida." Em três dias na semana passada, 12 pessoas foram assassinadas na favela de Chatuba, na zona norte do Rio, informa o correspondente.

Economia francesa

O diário econômico Les Echos destaca que a decisão do presidente francês François Hollande de fechar a mais antiga central nuclear francesa em 2016, a usina de Fessenheim, no leste do país, causa grande mal-estar à operadora EDF. Os sindicatos temem problemas de abastecimento de energia e o fechamento de 2.200 postos de trabalho.

Libération também destaca em manchete decisões do governo na área fiscal. Para encher os cofres do estado, a equipe de Hollande estuda adotar uma medida defendida pelo governo de Nicolas Sarkozy e durante muito tempo considera inadequada pela equipe socialista. Trata-se de um aumento do IVA, o imposto do consumo, para financiar o déficit da seguridade social.

O jornal comunista L'Humanité dedica sua manchete à insalubridade no parque habitacional popular francês. O governo lançou um grande projeto de renovação desses edifícios. Em alguns deles, os moradores vivem há anos sem elevadores e são obrigados a subir até dez andares de escadas, diariamente, para chegar em casa. O mais absurdo é que eles não recebem nenhum desconto no aluguel, que pode alcançar até mil euros, pelo estado precário dos edifícios e os problemas de má administração.

 

 
O tempo de conexão expirou.