Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 25/05 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 25/05 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 25/05 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/05 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/05 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 24/05 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/05 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/05 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Economia

Facebook enfrenta prova de fogo na Bolsa

media A entrada do Facebook no Nasdaq não teve o sucesso esperado pelos investidores e novos acionistas. REUTERS/Brendan McDermid

As ações da rede social mais famosa no mundo estavam em queda na abertura do Nasdaq (Bolsa americana de empresas de alta tecnologia) nesta terça-feira, cotadas a US$34,03%. Ontem, segundo dia da entrada do Facebook no mercado, as ações perderam 11% no encerramento do pregão. O motivo foi a falta de apoio dos bancos encarregados de articular a oferta pública inicial.  

Esta semana deve ser crucial para o futuro do Facebook no mercado de ações. A rede pode se encontrar em maus lençóis se o banco Morgan Stanley, um dos encarregados da emissão, deixar de apoiá-la. Outro risco é o da perda de grandes investidores potenciais que estão "sentindo a temperatura" antes de fazer a aquisição.

O Facebook fez sua entrada oficial na Bolsa na sexta-feira passada, tendo negociado 421 milhões de ações, equivalentes a mais de US$ 100 bilhões para a companhia. A aguardada alta do valor não aconteceu e Morgan Stanley acabou interferindo quando as ações caíram, logo depois da abertura. No encerramento, a alta registrada foi de 0,6% em relação ao valor inicial de US$38,23.

Riscos

A grande ameaça desta semana é de que Morgan Stanley não contine sustentando as quedas das ações da rede social, hipótese não descartada pelos analistas econômicos. Para apoiar o Facebook, o maior banco de investimentos do mundo reservou a descoberto 63 milhões de ações, equivalentes a US$ 2,4 bilhões.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.