Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Breivik planejava realizar três atentados na Noruega

media O assassino norueguês, Anders Breivik, chega ao tribunal de Oslo, nesta quinta-feira. REUTERS/Stoyan Nenov

Anders Behring Breivik, responsável pelo assassinato de 77 pessoas em julho do ano passado, na Noruega, revelou nesta quinta-feira que seu objetivo inicial era de realizar três atentados a bomba seguidos do tiroteio. Hoje a Noruega acompanha o quarto dia do julgamento do atirador. Ao contrário dos três primeiros dias de julgamento, o rapaz chegou nesta manhã ao tribunal sem fazer a sua típica saudação de extrema-direita.

Na quarta-feira, Breivik, de 33 anos, afirmou que estava sendo ridicularizado pelo júri e desejava que seu caso fosse tratado sem meios termos. Ele chegou a pedir a absolvição ou a pena de morte. Este último não é possível, segundo as leis norueguesas.

Uma das principais expectativas do caso é sobre a sanidade mental de Breivik. Os dois especialistas que analisaram o autor do massacre chegaram a conclusões contraditórias. Se considerado como louco, Breivik será internado em uma clínica psiquiátrica. Mas, se culpado, ele pode pegar 21 anos de prisão pela morte das 77 pessoas.

Desde o primeiro dia de julgamento, Breivik se diz inocente e afirma ter agido em legítima defesa contra o que chamou de “multiculturalismo”. Ele é julgado pelos assassinatos que cometeu no ano passado, em 22 de julho. Além de ter explodido uma bomba em frente a uma das sedes do governo norueguês, matando oito pessoas, o rapaz matou a sangue frio outras 69, presentes em um acampamento de verão do partido social-democrata, na ilha de Utoya. Na ocasião, o autor do massacre vestia um uniforme policial.

Breivik afirma ser membro de uma rede de militantes nacionalistas, a qual nomeia de "Cavaleiros Templários". Ele garantiu aos investigadores que, apesar de trabalhar sozinho, existem outras 80 "células" na Europa que compartilham sua ideologia. A polícia norueguesa não confirma a existência desse grupo de militantes.

O processo de julgamento deve se estender por mais nove semanas. A sentença está prevista para julho.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.