Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Justiça francesa reabre hoje processo de acidente com o Concorde

media Bombeiros tentam conter incêndio de destroços do Concorde da Air France que explodiu em 2000. Reuters

O desastre com avião Concorde da Air France que fazia o voo Paris-Nova York volta hoje a ser julgado no Tribunal de Versalhes. A Continental Airlines apelou da decisão de 2010 que considerava a companhia aérea como a única responsável pelo acidente que matou 113 pessoas em 2000.

De acordo com a decisão do Tribunal de Pontoise de 2010, uma peça desprendida de uma aeronave da companhia aérea americana Continental Airlines teria causado o desastre no dia 25 de julho de 2000. O Concorde pegou fogo e explodiu no ar poucos minutos após a decolagem no Aeroporto Internacional de Charles de Gaulle, em Paris.

Além da tripulação e dos passasgeiros, a explosão também matou quatro pessoas que estavam no solo. O avião atingiu um hotel na cidade de Gonesse nos arredores do aeroporto.  Segundo o BEA (Escritório de Investigações e Análises para a Aviação Civil), uma das rodas do Concorde estourou depois de passar sobre a peça que caiu do avião americano que havia utilizado a pista minutos antes. Os pedaços do pneu atingiram o tanque de combustível do Concorde provocando um vazamento e, posteriormente, uma explosão.

Essa versão, porém, vai ser contestada na audiência de hoje. A defesa vai apresentar 18 testemunhas que dizem que viram o Conccorde pegar fogo antes mesmo de ter encostado na peça da Continental Airlines. O advogado da companhia americana, Olivier Metzner, declarou antes de entrar para a audiência que espera que, desta vez, o processo seja feito de forma mais justa.

A Continental Airlines havia sido condenada a pagar uma multa de 200 mil euros e a indenizar a Air France em 1 milhão de euros. Um técnico da manutenção da Continental foi condenado a 15 meses de prisão por ter instalado mal a peça.

Depois do acidente, a Air France retirou provisoriamente o aparelho de circulação. Em maio de 2003, todos os Concorde foram retirados definitivamente devido aos elevados custos operacionais da aeronave que era um símbolo de alta tecnologia e glamour. Um voo entre Paris e Nova York durava apenas 4 horas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.