Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Primo de Jean Charles teria sido alvo de escutas ilegais

media Sede do grupo News International, em Londres. REUTERS/Luke MacGregor

Número de telefone de primo do brasileiro morto por engano em Londres, em 2005, foi encontrado em documentos de detetive particular do News of the World, tabloide envolvido no escândalo de grampos telefônicos na Grã-Bretanha. Mais de quatro mil pessoas, entre personalidades e políticos, foram vítimas de escutas ilegais.

A informação foi confirmada pela ONG Justiça para Jean Charles, que luta pela punição dos responsáveis pela morte do eletricista, confundido com um terrorista pela polícia. Ele foi abatido no metrô Stockwell, um dia após as explosões de 21 de julho de 2005, em Londres, que provocaram a morte de 52 pessoas.

Segundo Yamin Khan, porta-voz da Ong, a Scotland Yard entrou em contato com Alex Pereira, para informá-lo de que seu número estava entre os documentos do detetive particular contratado pelo News of the World, do grupo do magnata australiano Rupert Murdoch. As autoridades britânicas pediram os números telefônicos dos integrantes da organização e de familiares de Jean Charles para descobrir se outros telefones foram grampeados.

Murdoch

A justiça britânica convocou formalmente Rupert Murdoch e seu filho James para comparecimento diante de uma comissão do parlamento britânico, nesta terça-feira. Os parlamentares esperam que os responsáveis pelo grupo expliquem as condutas da News International. Nesta sexta-feira, mais uma pessoa foi presa no caso, suspeita de “conspirar para interceptar comunicações”, informou a Scotland Yard.

O News of the World, que era a publicação mais antiga e mais vendida da Grã-Bretanha, foi às bancas pela última vez no domingo.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.