Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Acidente aéreo no Congo deixa 32 mortos

media A chuva pode ter provocado o acidente com o avião da ONU, nesta segunda-feira em Kinshasa

Pelo menos 32 pessoas morreram nesta segunda-feira em um acidente com um avião da ONU no Congo, o primeiro desde o início da missão, em 1999.

De acordo com informações da Organização, o acidente aconteceu por volta das 14h, horário local. O piloto tentou aterrissar mas teve dificuldades devido à forte chuva. O avião, um Fokker 100, vinha da cidade de Goma, no norte do país, e partiu em vários pedaços. Uma parte da cabine saiu rolando na pista por 800 metros, provocando um incêndio.

De acordo com informações de fucionários do aeroporto, pelo menos seis pessoas foram lançadas fora da aeronave. As equipes de resgate criaram um perímetro de segurança no local, para retirar os corpos. Quatro pessoas podem ter sobrevivido, mas ainda não há informações oficiais. Os feridos foram levados para o hospital Biamba Marie Mutombo, a cerca de 15 minutos do aeroporto. Os Estados Unidos enviaram suas condolências às famílias das vítimas depois da tragédia.

A ONU possui cerca de 10 aviões na região, que asseguram o transporte de jornalistas e membros locais. As aeronaves, em geral, estão em bom estado.Os acidentes aéreos são frequentes no Congo. As cerca de 50 companhias aéreas congolesas integram a lista estabelecida pela União Européia, interditando seus voos no continente.
 

 
O tempo de conexão expirou.