Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 12/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 12/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 12/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 12/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 11/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 11/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Homem forte do governo Macron, presidente da Assembleia francesa é indiciado por apropriação indébita

media O presidente da Assembleia Nacional francesa, Richard Ferrand, durante uma sessão em 19 junho 2019, em Paris. Kenzo TRIBOUILLARD / AFP

O presidente da Assembleia Nacional francesa, Richard Ferrand, homem de confiança do presidente Emmanuel Macron, foi indiciado na noite de quarta-feira (11) pela justiça do país. Ele é acusado de favorecer a esposa em um acordo imobiliário durante o período em que dirigiu uma instituição financeira pública regional.

O caso envolvendo Richard Ferrand foi revelado pelo jornal Le Canard Enchainé. Depois de prestar depoimento durante mais de 15 horas para juízes de instrução do Tribunal de Lille, no norte da França, Ferrand foi indiciado por apropriação indébita.

O indiciamento do presidente da Assembleia - quarto na linha de sucessão presidencial - é inédito. Macron reiterou sua confiança total no colaborador, que qualifica como "leal, correto e com um histórico político exemplar". Ferrand foi um das primeiras personalidades do Partido Socialista a integrar a campanha do presidente centrista.

Ferrand garante que é inocente

Em 2011, Les Mutuelles de Bretagne, organismo que Ferrand dirigia, alugou imóveis comerciais que pertenciam à esposa. O ex-deputado socialista nega qualquer irregularidade e garante que a mulher fez a melhor oferta de fundos na operação imobiliária. Em comunicado, o homem forte de Macron disse estar "determinado a continuar com a missão" de presidente da Assembleia Nacional.

Ferrand chegou a ser ministro da Coesão Territorial em 2017, mas se demitiu do cargo após a revelação das suspeitas. Depois de uma investigação preliminar, o caso foi arquivado e ele fez um retorno triunfal à Assembleia Nacional. No entanto, em 2018, a associação anticorrupção Anticor apresentou uma nova denúncia, que resultou no indiciamento.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.