Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 14/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 13/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Reserva online para visitar exposição de Da Vinci no Louvre será obrigatória

media O museu do Louvre, o mais visitado do mundo REUTERS/Regis Duvignau

Medida, que será generalizada no fim do ano, vai garantir que turistas entrem no estabelecimento no máximo meia hora depois do horário previsto, diz direção do museu.

De acordo com o administrador-geral adjunto do Louvre, Vincent Pomarède, o objetivo é melhorar as condições de visita. “Com esse dispositivo, as pessoas podem ter certeza de que vão entrar”, disse em entrevista à rádio francesa France Info. As filas para entrar no Louvre são muito longas, principalmente no verão e muita gente fica de fora. A direção informa, entretanto, que quem não tem acesso à web poderá comprar o ingresso, com antecedência, nos pontos de vendas tradicionais.

Algumas vezes, os funcionários são obrigados a fechar os guichês e apenas quem comprou o ingresso online pode entrar. O Louvre testará o novo dispositivo em outubro. Os ingressos para a exposição de Leonardo Da Vinci estão sendo vendidos apenas pela Internet. Os ingressos podem ser adquiridos desde junho.

Nos últimos meses, o Louvre teve que lidar com alguns problemas externos, que atraíram ainda mais visitantes. Um deles foi o calor, que levou vários turistas a entrarem no museu para escapar das altas temperaturas, que em julho ultrapassaram os 40 graus na capital francesa. O museu, que recebe dez milhões de visitantes por ano, foi obrigado, por conta da superlotação, a impedir a entrada de todos os turistas. Cerca de 75% deles vêm ao local para visitar a Mona Lisa, que trocou recentemente de galeria.

Tendência é geral

Os museus parisienses públicos ou privados estão tentando melhorar o atendimento aos visitantes e diminuir o tempo de espera. O Centro Pompidou, por exemplo, situado no centro de Paris, já anunciou que vai instaurar reservas obrigatórias para a exposição de Francis Bacon, a partir de setembro. Diversos aplicativos já começam a ser desenvolvidos para informar aos visitantes os horários em que há um menor número de visitantes.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.