Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Dezenas de prefeitos alertam para ataques de ursos no sudoeste da França

media As autoridades francesas calculam que cerca de 50 ursos vivem atualmente nas montanhas do sudoeste da França. Getty Images

Dezenas de prefeitos protestaram nesta terça-feira (6) em Toulouse contra o excesso de ursos nas montanhas dos Pirineus, no sudoeste da França. Segundo as autoridades, os animais vêm multiplicando ataques contra criações de ovinos e gerando prejuízos para os criadores.

"O governo precisa nos ouvir!", bradaram os prefeitos em Toulouse. "Há unanimidade para pedir a retirada de ursos dos Pirineus. É um apelo ao Estado!", afirmou o presidente da Câmara de Agricultura regional, Philippe Lacube.

As autoridades calculam que cerca de 50 ursos vivem atualmente nas montanhas do sudoeste da França. Segundo o Escritório Nacional da Caça e da Fauna Selvagem, entre 1° de janeiro e 31 de julho deste ano, foram registrados 214 ataques de ursos contra criações de ovinos. De acordo com o organismo, esse número vem aumentando nos últimos anos. No mesmo período, em 2018, foram registrados 167 ataques; em 2015, foram apenas 53.

638 ovinos mortos

Para as autoridades, os prejuízos causados pelos ataques são inéditos. Apenas neste ano, 638 ovinos morreram no sudoeste da França. O mais curioso é que esses animais não morrem ao serem devorados pelos ursos, mas caindo em abismos nas montanhas ao tentarem escapar dos predadores.

"Não há mais lugar para os ursos!", reclamou o presidente do Conselho Departamental, Henri Nayrou. Ele diz temer ataques contra humanos e que os agricultores comecem a agir por conta própria e matem os animais. Segundo ele, cada vez mais os ursos se aproximam de vilarejos.

O prefeito da região da Occitânia, que responde pela região dos Pirineus franceses, explica que o controle da população de predadores só pode ser realizado em caso de ataque contra o homem. Entre as medidas que propõe, estão operações para assustar e deslocar os animais, além de um acompanhamento financeiro e o aumento da indenização aos criadores após ataques.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.