Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 15/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Mísseis franceses são descobertos em base militar rebelde na Líbia

media Mísseis franceses encontrados no arselnal do marechal Khalifa Haftar, na Líbia, em junho de 2019. AFP

A França reconheceu nesta quarta-feira (10) que o armamento encontrado com as tropas do marechal rebelde líbio, Khalifa Haftar, pertence ao país. A descoberta dos quatro mísseis de fabricação americana pelas forças governamentais, no oeste do país, havia sido revelada pelo jornal The New York Times.

Em sua edição de terça-feira (9), o jornal americano publicou reportagem informando que o armamento comprado pela França dos Estados Unidos fora encontrado, no mês de junho, num campo de combatentes rebeldes, numa localidade a cerca de cem quilômetros a sudoeste da capital, Trípoli.

O governo francês informou, no entanto, que as armas eram destinadas à proteção de um grupo antiterrorista francês e que estavam desativadas. De acordo com o Ministério da Defesa, os mísseis estavam danificados e fora de uso e tinham sido estocados temporariamente em um local para serem destruídos.

Paris garante que nunca vendeu, cedeu ou transferiu mísseis para forças locais na Líbia e que não desrespeitou o embargo de armas ao país.

País enfrenta guerra interna

Desde a deposição de Muammar Kadhafi, em 2011, a Líbia está mergulhada no caos. O país tem muitas milícias que disputam regiões e duas autoridades rivais, o Governo de União Nacional (GNA) e, no leste do país, o Exército Nacional Líbio (ENL), do marechal Khalifa Haftar.

O ENL lançou uma ofensiva para conquistar Tripoli, capital da Líbia, comandada pelo GNA, reconhecido pela comunidade internacional.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.