Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Estudo aponta risco de AVC para quem come alimentos ultraprocessados

media Cientista aconselha sempre verificar lista de ingredientes antes de comprar. Getty Images

Um estudo do Instituto Nacional da Saúde e da Pesquisa Medical, o Inserm, publicado nesta quinta-feira (30), alerta para o aumento do risco de acidentes vasculares cerebrais (AVC) ou mesmo de infarto em pessoas que consomem alimentos chamados de “ultraprocessados”. Os pesquisadores analisaram produtos como salsichas ou sopas e contaram com 100 mil voluntários franceses, que participaram regularmente do projeto “Nutrinet-Santé”.

Nos últimos anos, diversas pesquisas estabeleceram uma ligação entre alimentos transgênicos e um maior risco de câncer, problemas digestivos e até aumento de mortalidade. Dessa vez, os cientistas se concentraram em doenças cardiovasculares, observando produtos como refrigerantes, barras de chocolate, lasanhas, entre outros.

A lista dos alimentos considerados “ultraprocessados” não inclui todos os pratos congelados, mas sim aqueles que sofreram diversas transformações e que contêm aditivos, como explica Mathilde Touvier, diretora de pesquisa do Inserm. “Esses alimentos se transformaram através da hidrólise ou da hidrogenação. A maioria contém colorantes”, alerta.

12% de chance a mais

A equipe responsável pela pesquisa observou uma “associação entre os alimentos ultraprocessados e um maior risco de doenças cardiovasculares, como infarto, ou cerebrovasculares, como o AVC”, ressalta Mathilde Touvier.

Os voluntários têm 12% de chance a mais de sofrer com uma dessas doenças. Para evitar todo mal-entendido, os pesquisadores levaram em conta a idade dos participantes, assim como a classe social, o peso, tabagismo e atividade física.

Mas a cientista Mathilde Touvier permanece calma diante da situação: ela lembra que não é necessário ter medo de todos os produtos encontrados nos supermercados. Seu conselho é observar as etiquetas e prestar atenção na lista de ingredientes antes de comprar.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.