Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 24/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/06 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 23/06 09h33 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Professor francês é indiciado por suspeita de estupro de 50 adolescentes asiáticos

media O caso foi revelado pelo jornal Le Parisien, que publica imagem do professor francês quando ele foi preso em flagrante, em fevereiro passado, na Tailândia. Reprodução

Mais um caso macabro de pedofilia abala a França. Um professor francês de 51 anos, expatriado em Singapura, foi indiciado no dia 1° de abril pelo Ministério Público de Paris por suspeita de estupro e agressão sexual contra 50 menores de idade, alguns com mais, outros com menos de 15 anos. Os crimes teriam sido cometidos na Tailândia, Malásia, Índia e Filipinas, segundo suspeita a polícia francesa.

O caso foi revelado nesta sexta-feira (5) pelo jornal Le Parisien. O professor Jean-Christophe Q., nascido em Besançon, no leste da França, foi detido em sua cidade quando retornava da Ásia, no dia 30 de março passado. A operação policial esteve a cargo do Escritório Central de Repressão de Violências contra Pessoas (OCRVP). Durante o interrogatório policial, ele admitiu a maior parte das acusações. Todas as vítimas eram meninos. O professor foi colocado em prisão preventiva.

A Procuradoria de Paris confirmou que ele foi indiciado por estupro e agressões sexuais contra menores de 15 anos, aquisição, manutenção e filmagem de imagens pornográficas de menor, visando sua difusão. O professor também é acusado de formação de quadrilha prevendo o planejamento de crime de corrupção de menor com mais de 15 anos de idade, detalha um comunicado da Procuradoria.

Típico turista sexual predador de crianças e adolescentes

O suspeito de pedofilia se instalou na Malásia no ano 2000. No dia 4 de fevereiro passado, o homem, que atualmente era professor de francês em uma escola de Singapura, foi preso em flagrante na Tailândia, quando estuprava um menor. O caso foi tratado com destaque na mídia tailandesa, mas, segundo o jornal Le Parisien, ele acabou sendo libertado.

"No quarto do hotel onde ele esteve hospedado em Bancoc, os policiais encontraram dois adolescentes de 13 e 14 anos e todos os equipamentos usados pelo turista sexual: uma câmera de vídeo, cartelas de Viagra (remédio para estimular a ereção] e cerca de 30 preservativos", relata Le Parisien. De acordo com o jornal, as duas vítimas foram contatadas pelo Facebook. O professor havia proposto a cada um dos meninos € 30, cerca de R$ 130, pelas relações sexuais.

Um policial próximo da investigação relata ao Le Parisien que as autoridades francesas não sabem por que o francês foi libertado, se ele pagou fiança ou suborno à polícia tailandesa, principalmente depois do destaque que o caso ganhou na mídia local. O caso chamou a atenção da embaixada francesa em Bancoc, que notificou a justiça em Paris. Até aquele momento, o professor não tinha nenhum antecedente criminal registrado.

O Ministério Público de Paris abriu uma investigação preliminar e passou a seguir os passos do expatriado. Quando ele retornou a Besançon para visitar os pais no fim de março, foi detido. Na ocasião, a polícia apreendeu o celular do professor, onde encontrou dezenas de fotografias e vídeos dele mantendo relações sexuais com jovens meninos asiáticos. No interrogatório, ele procurou minimizar o número de vítimas potenciais, mas a polícia francesa suspeita que Jean-Christophe Q. pode ter violentado 50 menores.

Os posts publicados por ele nas redes sociais confirmam suas viagens à Tailândia (pelo menos dez visitas em dez anos) e a outros países da região. Agora, os investigadores tentam retraçar as passagens de avião, datas, locais de hospedagem e outros dados que possam levar à identificação de outras vítimas.

O turismo sexual de franceses e europeus que vão ao sudeste da Ásia explorar a miséria de menores é um problema antigo. Todo ano, a justiça francesa trata de cerca de 20 casos de pedófilos franceses no exterior. As ONGs locais que combatem esses crimes costumam ser melhores parceiras do que as autoridades locais nas investigações.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.