Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

França abre classes especializadas para autistas na rede pública de ensino

media O jornal Aujourd'hui en France destaca o aumento de charlatães que atuam no mercado oferecendo terapias alternativas para o autismo. Reprodução RFI

O Dia Mundial de Conscientização do Autismo é particularmente celebrado nesta terça-feira (2) na França, onde 700 mil pessoas são portadoras do distúrbio. Pais de autistas e associações pressionam o governo a facilitar as condições de vida dessas pessoas com necessidades específicas em seu cotidiano.

Em relação a outros países da Europa, a França deve superar um atraso histórico no tratamento aos autistas, principalmente na escola e no mercado de trabalho. O presidente Emmanuel Macron apresentou há um ano um plano para atender às necessidades dessas famílias e, na avaliação do jornal Le Figaro, o balanço preliminar é positivo.

O primeiro progresso constatado é a intervenção precoce de especialistas para afinar o dignóstico dos distúrbios de desenvolvimento envolvendo essas crianças. Em média, os pais de autistas só conseguem obter um diagnóstico preciso em torno dos 7 anos de idade, o que é considerado tarde para colocar em prática os estímulos necessários à aprendizagem escolar.

Com o dispositivo criado pela Secretaria de Estado para Deficiências, criada por Macron, 35 mil crianças autistas poderão beneficiar de acompanhamento multidisciplinar, com as despesas cobertas pelo sistema público de saúde. A gestão deste programa será feita por intermédio de 30 plataformas, que estarão operacionais a partir de junho. Pediatras e clínicos gerais também receberão orientação, nessas plataformas, para aprimorar os critérios de diagnóstico.

A presidente da associação SOS Autismo, Olivia Cattan, se mostra parcialmente satisfeita com essa estratégia. Segundo ela, essas plataformas serão úteis para uma nova geração de autistas de 0 a 6 anos, mas ela questiona que avanços estão previstos para os mais velhos. Segundo a ativista, o problema é sempre o mesmo: um atraso entre os anúncios políticos de boas intenções e o acesso real dos pacientes aos especialistas e terapias necessárias. O plano de Macron tem um orçamento de € 344 milhões em cinco anos.

Classes na rede pública para autistas

Nas escolas, 180 classes de jardim da infância serão criadas e especializadas em crianças autistas. As primeiras 30 salas serão abertas no novo ano escolar, a partir de setembro. No ensino primário, seis classes já foram abertas e outras 10 iniciam atividades em setembro. Cinquenta professores estão sendo treinados como orientadores dos colegas que contarão com crianças autistas em suas classes. O governo francês estabeleceu como meta que todas as crianças autistas nascidas em 2018 tenham acesso à escola pública.

O jornal Aujourd'hui en France destaca um aspecto negativo que atinge famílias com filhos autistas: o aumento de charlatães no mercado, vendendo terapias alternativas e curas milagrosas a preços exorbitantes, sem o menor fundamento científico. Associações do setor pedem à Justiça e ao Ministério da Saúde que sejam mais atentos a essa realidade.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.