Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Após reunião de vice-premiê da Itália com “coletes amarelos”, França convoca seu embaixador em Roma

media Junto com Luigi Di Maio (centro), dois representantes dos "coletes amarelos": Christophe Chalençon (à esquerda) e Ingrid Levavasseur (direita). Captura de vídeo Euronews

"Uma provocação inaceitável": é desta forma que o governo francês classificou o encontro do vice-primeiro-ministro italiano, Luigi Di Maio, com representantes dos "coletes amarelos", na última terça-feira (5). Paris resolveu convocar seu embaixador na Itália para consulta nesta quinta-feira (7), diante do que classificou de "uma situação grave".

De acordo com a porta-voz do Ministério francês das Relações Exteriores, Agnès von der Mühll, essa é a primeira vez desde o final da Segunda Guerra Mundial que a França tem que convocar seu embaixador em um país aliado após uma provocação, vista por Paris como “uma prova de ingerência”.

"Há vários meses, a França tem sido alvo de repetidas acusações, ataques infundados, declarações ultrajantes", disse, em comunicado, Agnès von der Mühll. "A última interferência é uma provocação adicional e inaceitável", acrescentou.

Ela lembrou que Di Maio tem responsabilidades governamentais e deve ser cauteloso para não afetar as bilaterais com suas declarações. "Tanto pelo interesse da França como da Itália", frisou a porta-voz.

“O vento da mudança cruzou os Alpes”

A reunião de Di Maio com membros dos "coletes amarelos", mobilizados por várias semanas contra o presidente Emmanuel Macron, foi a gota d'água para o governo francês. O chefe do partido Movimento 5 Estrelas (M5E) postou fotos nas redes sociais do encontro com militantes anti-Macron na região parisiense. "O vento da mudança cruzou os Alpes", escreveu o vice-premiê italiano no Twitter.

Essa não foi a primeira vez que o líder do M5E desafiou o governo francês. No início de janeiro, ele deixou um recado para os coletes amarelos no blog de seu partido. "Não cedam!", escreveu. Já o ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, afirmou recentemente que espera que os franceses consigam se livrar logo de seu "péssimo presidente" - declarações inéditas entre países fundadores da União Europeia.

Os "coletes amarelos" protestam desde meados de novembro contra a pressão fiscal, os baixos salários e em defesa do poder aquisitivo. O movimento tem entre seus seguidores simpatizantes da extrema-direita. Embora haja profunda divisões no grupo, os militantes continuam realizando protestos todos os sábados, há 12 semanas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.