Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 15/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 15/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 15/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Francesas acionam Justiça contra fabricante de implantes mamários suspeitos de causar linfoma

media Próteses mamárias de silicone da marca americana Allergan são suspeitas de causar linfoma raro. Finemann/ Creative Commons

O escândalo das próteses mamárias de silicone que se desintegram e são suspeitas de causar um tipo raro de linfoma volta às manchetes (7) na França. Duas mulheres prestaram queixa na Justiça na quarta-feira (6) e uma terceira também abrirá um processo contra a fabricante americana Allergan e a Agência Nacional de Segurança dos Medicamentos (ANSM), por colocar em risco a vida dos pacientes.

Após a multiplicação de casos do linfoma anaplásico de células grandes, relacionado a implantes mamários de silicone - 673 no mundo, 59 na França - três francesas se mobilizam nesta semana contra a fabricante Allergan e as autoridades sanitárias do país. Segundo informações obtidas pela rádio France Info e o jornal Le Monde, ao menos três processos foram abertos por "ferimentos involuntários", "fraude" e "risco de morte".

No centro da polêmica, está a fabricante americana Allergan, cujos implantes vem sendo extremamente contestados nos últimos anos. "Desde 2015, há sérias dúvidas sobre essas próteses. O Instituto Nacional do Câncer, então dirigido pela ministra da Saúde, Agnès Buzyn, apontou que dos 18 casos de linfoma depois do implante de próteses, 14 eram da marca Allergan", denuncia o advogado Laurent Gaudon, que defende uma das vítimas, em Paris.

"Seu corpo sofre com danos irreversíveis", afirma o advogado que defende uma mulher de 42 anos de Marselha, no sul da França. "Temos provas que mostram a relação entre as próteses e o início deste câncer muito agressivo", afirma.

A polêmica vem à tona no mesmo dia que a ANSM realiza duas auditorias públicas sobre a utilização de implantes mamários para a cirurgia estética e de reconstrução. Transmitidos no YouTube, os debates se concentram na superfície rugosa das próteses e na possibilidade que a textura seja o motivo do desenvolvimento deste tipo raro de câncer.

59 casos de linfoma raro desde 2011

Desde 2011, entre as 500 mil mulheres que utilizam implantes mamários na França, 59 casos de linfoma anaplásico de células grandes - um tipo raro de câncer - foram detectados, especialmente nas próteses texturizadas. Três mulheres morreram.

Esse tipo de prótese representa 85% do mercado francês, no qual a Allergan é um dos principais atores. Em 18 dezembro de 2018, o implante de silicone rugoso foi proibido na Europa. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também suspendeu, dias depois, a comercialização e o implante de quatro modelos de prótese da Allergan. Em um comunicado, a empresa se defendeu das denúncias lembrando os benefícios e os riscos do material.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.