Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Suspeita do incêndio em Paris passou por 14 internações psiquiátricas

media Incêndio no 16o. distrito de Paris, na madrugada do 5 de fevereiro de 2019, deixou ao menos dez mortos. Reuters

"Ela era mais estranha e desnorteada que ameaçadora", dizem os vizinhos sobre a principal suspeita do incêndio que deixou ao menos dez mortos em Paris. O perfil psicológico da suspeita, que ao todo, passou quase cinco anos de sua vida em hospitais psiquiátricos, é o principal assunto dos sites e jornais franceses desta quarta-feira (6).

Esta mulher de 40 anos conta com 14 estadias em hospitais psiquiátricos nos últimos anos, sendo que, da última, no hospital psiquiátrico de Sainte-Anne, em Paris, ela recebeu alta no dia 30 de janeiro de 2019, cinco dias antes do incêndio.

A cada vez, foi a própria família dela que pediu pela internação, depois de crises ou quando ela se tornava incontrolável.

Na Justiça francesa, ela já era conhecida por "porte de arma", sem que a natureza dela tenha sido especificada. Foi objeto de duas queixas em 2016, incluindo uma para um caso de incêndio de uma loja.

Processos arquivados

Os processos, no entanto, foram arquivados devido ao estado mental suspeito da suspeita. O terceiro caso, em 2017, referente à violência doméstica, também foi arquivado, mas por um delito que não foi suficientemente caracterizado. Ela também já havia sido interpelada por disputas de vizinhança e atos de violência e degradação.

Os investigadores estão investigando possíveis problemas na vizinhança. "A investigação continua a saber exatamente as condições sob as quais este fogo teria se espalhado e as condições sob as quais ele teria sido aceso", disse o procurador da República de Paris.

Um de seus vizinhos no segundo andar detalhou, ao site FranceInfo, o violento conflito de vizinhança que precedeu a tragédia na noite de segunda-feira (4). Vários focos de incêndio foram observados nos 2 º, 7 º e 8 º andares do edifício.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.