Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 13/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 13/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 13/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 13/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 13/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Franceses dizem adeus ao cantor Michel Legrand

media Catedral de São Alexandre Nevski, em Paris, após cerimônia do funeral do compositor francês Michel Legrand em 1 de fevereiro de 2019. Alain JOCARD / AFP

A primeira-dama francesa, Brigitte Macron, o músico Vladimir Cosma, o cineasta Claude Lelouch e o ministro da Cultura, Franck Riester, foram algumas das personalidades a comparecerem, nesta sexta-feira (1), ao velório do cantor Michel Legrand. A cerimônia, em presença de Macha Méril, sua esposa, aconteceu na catedral ortodoxa russa Saint-Alexandre-Nevsky, em Paris.

A cerimônia começou às 11h30, pouco depois da chegada do caixão, preto e decorado com uma cruz ortodoxa. A partir das 14h, o cantor, morto aos 86 anos, foi homenageado no teatro Marigny. Michel Legrand foi enterrado no cemitério de Père-Lachaise, onde vários outros artistas repousam. A prefeitura de Paris também preparou uma retrospectiva da vida do cantor, exposta em um telão para o público.

“Falar perto do caixão de Michel, é um pouco difícil. A última vez que nos vimos, estávamos de mãos dadas e senti que mergulhávamos nos anos passados com Jacques [Demy, diretor francês]”, disse a cineasta Agnès Varda, viúva de Demy, emocionada. “Perdemos um dos gigantes da França. Basta citar seu nome para evocar as notas musicais de ‘Os Guarda-chuvas do Amor’.”

Michel Legrand ganhou três Oscars, além de diversos outros prêmios. O primeiro, em 1969, foi pela canção principal de “Crown, o Magnífico” (de Norman Jewison, com Steve Mcqueen), chamada de “The Windmills of your Mind”. Ele também venceu duas estatuetas de trilha sonora original por "Houve uma vez um Verão 42" (1972), de Robert Mulligan, e "Yentl" (1984), de Barbra Streisand.

Instrumentista e arranjador para cantores no começo da carreira, Michel Legrand começou a compor música para filmes nos anos 1960, com o surgimento da Nouvelle Vague francesa, trabalhando para Agnès Varda, Jean-Luc Godard e, sobretudo, Jacques Demy, para quem musicou "Os Guarda-Chuvas do Amor", entre outros. Ele se instalou nos Estados Unidos em 1966, quando começou sua carreira no cinema.

Jazz e música clássica

Apesar do grande sucesso, Michel Legrand se recusava a trabalhar apenas para o cinema. Também foi cantor, pianista e compositor de jazz, assim como de peças clássicas. Ele trabalhou com nomes como Ray Charles, John Coltrane, Sarah Vaughn, Frank Sinatra, Edith Piaf e muitos outros.

"Não tenho uma carreira. Experimento todas as disciplinas musicais com muita seriedade e trabalho. Mas eu tento, sou sempre um aluno", afirmou em 2009 à AFP. Pai de três filhos, Michel Legrand estava em seu terceiro casamento, com a atriz Macha Méril, desde 2014. O compositor tinha concertos agendados para abril em Paris.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.