Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/03 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/03 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/03 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/03 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/03 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/03 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/03 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/03 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Air France fecha filial low cost que voava para o Brasil

media O projeto da companhia aérea Joon durou pouco mais de um ano JOEL SAGET / AFP

A companhia aérea Air France anunciou nesta quinta-feira (10) que vai fechar a sua empresa de viagem a baixo custo Joon. Um ano após sua inauguração, a nova marca do grupo, que tinha o Brasil entre suas rotas, não conquistou a clientela esperada.

A Joon foi apresentada como sendo uma criação híbrida, entre low cost e companhia tradicional, que começou a operar em dezembro de 2017, com quatro destinos na Europa. A ideia era reconquistar o tráfego aéreo perdido pela Air France nos últimos anos para os concorrentes de baixo custo, como Easyjet e Ryanair.

Sua atividade fora do continente europeu começou no primeiro semestre de 2018 com dois voos semanais para Fortaleza, no Brasil. A empresa havia prometido tarifas para a capital cearense a partir a partir de € 249 (cerca de R$ 929,00). Ambiciosos, os idealizadores também previam voar em 2019 para as ilhas Seychelles.

Mas o otimismo durou apenas um ano. “A multiplicidade de marcas deixou o cenário muito complexo e, infelizmente, enfraqueceu a potência da marca Air France”, explicou a companhia.

Companhias low cost tiveram um ano difícil

A Joon emprega 600 comissários de bordo que ganham, em média, 40% menos que os colegas da Air France. Segundo a empresa, os funcionários serão absorvidos pela matriz, mas a direção ainda não deu detalhes sobre as condições salariais dessa transferência, que deve começar em abril. Também não se sabe se todas as rotas da Joon serão operadas a partir de agora pela Air France ou se serão suprimidas.

“Desde o início, os clientes, os funcionários, os mercados e os investidores não entendiam muito bem [o conceito] da marca”, explicou nessa quinta-feira a direção da Air France. 

As companhias aéreas low cost tiveram um ano difícil em 2018. A alemã Air Berlin, a dinamarquesa Primera, a islandesa Wow Air, a britânica Flybe, a estoniana Small Planet Airlines, a sueca NextJet e a cipriota Cobalt Air encerraram suas atividades. Várias outras empresas de baixo custo também registraram resultados instáveis durante o ano.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.