Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

“Coletes amarelos”: vandalismo atinge Saint-Germain-des-Prés, bairro emblemático de Paris

media Um carro foi incendiado no Boulevard Saint Germain no momento da dispersão do protesto dos coletes amarelos REUTERS/Gonzalo Fuentes

O movimento dos “coletes amarelos” organizou um novo protesto neste sábado (5) em várias cidades francesas. Em Paris, a manifestação foi marcada por confrontos com a polícia às margens do rio Sena e atos de vandalismo, com carros incendiados, em Saint-Germain-des-Prés, bairro turístico conhecido por ter sido palco da revolução de maio de 1968.

O movimento, habituado a protestar em Paris na avenida do Champs-Elysées, mudou sua estratégia e nesse sábado, com um segundo cortejo saindo da prefeitura de Paris, no bairro do Marais, em direção à Assembleia Nacional. A passeata, realizada às margens do rio Sena, começou de forma pacífica, mas logo os primeiros confrontos foram registrados.

Perto da catedral de Notre-Dame, manifestantes encapuzados lançaram pedras contra policiais, que revidaram com bombas de gás lacrimogêneo. A mesma cena foi vista diante do Museu d’Orsay, às margens do rio Sena, já perto da Assembleia.

Participantes do protestos tentaram invadir o escritório do porta-voz do governo, Benjamin Griveaux, situado na mesma região. Ele teve que ser retirado às pressas do local. 

A situação ficou mais tensa no momento da dispersão da passeata, quando manifestantes – usando coletes amarelos ou não – foram para o vizinho Boulevard Saint-Germain. Barricadas foram erguidas rapidamente na avenida, onde lixeiras foram queimadas.

Um carro chegou a ser incendiado a apenas alguns passos dos restaurantes Les Deux Magots et Café de Flore, dois dos locais mais famosos desse sofisticado bairro parisiense. Saint-Germain-des-Prés ficou conhecido como centro da contestação durante a mobilização popular de maio de 1968.

Atos de vandalismo foram registrados na feira de Natal diante da igreja de Saint-Germain-des-Prés REUTERS/Gonzalo Fuentes

Protesto continuou no Champs-Elysées

Logo após 17h pelo horário local (14h em Paris), grupos de manifestantes começaram a se reunir na avenida do Champs-Elysées. Novos focos de incêndio foram registrados próximo ao Arco de Triunfo, monumento que já havia sido vandalizado em protestos passados dos “coletes amarelos”.

O governo mobilizou 3600 policiais da tropa de choque para manter a segurança durante o protesto dos "coletes amarelos", movimento popular que começou como uma manifestação contra a alta do preço do combustível, com bloqueio de estradas, antes de se tornar uma mobilização generalizada contra a queda do poder aquisitivo.

Apesar de ter perdido força nos últimos dias, esse já é o oitavo fim de semana de protestos na França. 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.