Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 18/12 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 18/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 18/12 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 17/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 17/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 17/12 14h00 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 16/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 16/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Número de migrantes que chegam à Itália pelo mar caiu 96% em dois anos

media Salvini anunciou a queda no número de entrada de migrantes pelo mar REUTERS/Remo Casilli/File Photo

Desde o mês de janeiro de 2018, apenas 23.000 migrantes chegaram à Itália pelo mar – número 96% menor do que há dois anos. Eles vinham sobretudo da Tunísia, da Eritreia, do Sudão e do Paquistão, passando pelos portos da Líbia e da Turquia.

O ministério do Interior italiano, liderado por Matteo Salvini, se orgulhou de anunciar a queda no número de pessoas que chegaram ao país, ressaltando inclusive que houve semanas sem nenhuma incidência. No mês de agosto, Salvini bloqueou, durante dez dias, migrantes resgatados pelo barco Diciotti. Desde o episódio, os desembarques de refugiados quase desapareceram.

Outros fatores impediram a chegada de novos migrantes: a ação dos guardas libaneses, que mantiveram na Líbia os que tentavam partir, e os acordos do antigo governo com as milícias de traficantes de pessoas. Com relação ao número de refugiados que chegam pelo mar, a Itália agora se encontra atrás da Espanha e da Grécia.  

Itália acusa França de enviar migrantes a seu território

Enquanto Salvini se vangloria da queda na migração por vias marítimas, ele acusa a França de enviar repetidamente migrantes à Itália. A gestão dos estrangeiros presos na região da fronteira franco-italiana é fonte de desentendimentos frequentes entre os dois países.

Em um comunicado, a prefeitura do departamento francês dos Altos Alpes, na fronteira com a Itália, já negou as acusações feitas por Salvini. No documento, as autoridades afirmam que esses jovens são enviados às estruturas de acolhimento de menores dentro do território francês.

"Foi o caso de dois menores em 18 de outubro", explica o comunicado que precisa, ao contrário do que afirmou Salvini, que eles não foram devolvidos à Itália, mas foram encaminhados "às estruturas do conselho do departamento dos Altos Alpes para que fossem acolhidos" na França.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.