Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 26/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 26/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 26/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 25/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 25/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 25/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 25/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 25/06 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Militantes do Femen driblam segurança e protestam em comemorações do fim da 1ª Guerra em Paris

media Militante do Femen protesta durante passagem do carro de Donald Trump nas comemorações pelo fim da Primeira Guerra Mundial (Foto: Reuters)

Três militantes do grupo feminista Femen conseguiram furar o dispositivo de segurança previsto para a passagem do cortejo oficial das comemorações do centenário do fim da 1ª Guerra Mundial.

A ação ocorreu no exato momento em que o carro do presidente americano, Donald Trump, subia a avenida Champs Elysées.

Pouco antes das 11h no horário local, as manifestantes pularam as barreiras com os seios à mostra. Elas escreveram no corpo a frase “Parada Hipócrita” e “Festa dos Gângsteres”. As três foram detidas para interrogatório e deverão comparecer à delegacia em março.

Uma delas, Tara Lacroix, disse que queria protestar contra a vinda dos líderes “que envergonham a paz”. Segundo ela, “ a maior parte deles não respeita os Direitos Humanos”.

Constance Lefèvre, uma das integrantes do grupo que estava no local, explicou que “a França celebra a paz com essa cerimônia mas a metade dos chefes de Estado convidados são responsáveis pela maioria dos conflitos no mundo”. O grupo Femen foi criado em 2008 na Ucrânia, mas sua sede fica em Paris. Ele ganhou notoriedade pelos protestos em topless contra racismo, homofobia, turismo sexual e outras temas sociais.

Cerimônia reúne 70 chefes de Estado

Mais de 70 chefes de Estado de todo mundo vieram participar das comemorações do centenário do fim da 1ª Guerra Mundial. O ponto alto será neste domingo (11), no Arco do Triunfo, onde acontece uma homenagem às 18 milhões de vítimas em frente ao túmulo do soldado desconhecido. Cerca de 10 mil policiais foram mobilizados.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.