Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 18/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 18/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 18/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 18/11 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 16/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 16/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

May e Macron celebram centenário do fim da 1ª Guerra Mundial

media A primeira-ministra britânica Theresa May e o presidente francês Emmanuel Macron em visita ao Memorial de Thiepval, 9/11/2018 Francois Mori/Pool via REUTERS

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, se reuniu nesta sexta-feira (9) com Emmanuel Macron, em Somme (norte da França), em uma referência franco-britânica da Primeira Guerra Mundial, na véspera de um fim de semana que marcará o ápice das comemorações pelo Centenário do Armistício de 1918. O presidente americano, Donald Trump, deve chegar à capital francesa no fim do dia. O longo "giro memorial" de Macron no norte e no leste da França voltou a ter uma dimensão internacional e diplomática que levará, no domingo (11), dezenas de chefes de Estado estrangeiros a Paris.

O presidente Emmanuel Macron continua associando o aspecto comemorativo de seu périplo e a promoção de seu programa presidencial, em particular nos campos econômico e social. Nesta sexta-feira pela manhã, ele esteve em um centro social de Lens, uma cidade mineradora do norte da França.

Na hora do almoço, o chefe de Estado recebeu sua homóloga britânica, Theresa May, para um almoço de trabalho. Depois, ambos visitaram a necrópole franco-britânica de Thiepval, um cemitério militar onde ficam os restos mortais de soldados de ambos os países. Acompanhado de sua mulher, Brigitte, ele seguiu para o centro histórico de Péronne e concluiu a viagem com uma mesa-redonda com historiadores especializados na Grande Guerra, um conflito que deixou mais de 18 milhões de mortos e 20 milhões de feridos.

Memória da guerra

"Há um século, as forças britânicas combateram lado a lado com nossos aliados europeus no front do Oeste. Hoje, na França e na Bélgica, nós nos debruçamos sobre nossa história comum, mas também sobre nosso futuro compartilhado, construído sobre a paz, a prosperidade e a amizade", afirmou May que também esteve no cemitério militar Saint-Symphorien, em Mons, no oeste da Bélgica.

A chegada de May marca o ponto forte da presença britânica nas comemorações internacionais do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial no continente. O ponto alto dessa homenagem será no domingo, mas sem a premiê, que participará das comemorações no Reino Unido.

Trump no Eliseu

Macron retorna para Paris nesta noite de sexta-feira, antes de um fim de semana de comemorações do Armistício que será encerrado com um Fórum pela Paz. São esperados cerca de 60 líderes mundiais, entre eles, a chanceler alemã, Angela Merkel, e os presidentes russo, Vladimir Putin, e o turco, Recep Tayyip Erdogan.

Na manhã deste sábado (10), o presidente receberá seu homólogo americano Donald Trump no Eliseu, antes de se encontrar com Angela Merkel à tarde na "clareira do Armistício", em Rethondes, na floresta de Compiègne, onde também foi assinada em 1940, por Hitler, a capitulação da França. Segundo o Eliseu, esses encontros simbolizarão o desfecho do processo de reconciliação entre os dois países.

No domingo (11), acontecerá o Fórum de Paris sobre a Paz, com o objetivo de "lembrar a necessidade de defender e reforçar o multilateralismo mundial". Esse evento reunirá vários atores da governança mundial - Estados, organizações internacionais, ONGs, empresas, sindicatos, grupos religiosos, mas sem Trump - para "apresentar soluções para uma melhor organização do planeta".

O encontro será encerrado por Macron e pelo secretário-geral da ONU, Antonio Gutteres.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.