Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Desempenho escolar de alunos franceses depende do meio social onde vivem, diz OCDE

media Capa do relatório divulgado nesta terça-feira (23) pela OCDE. Captura de tela/OCDE

Um estudo da OCDE divulgado nesta terça-feira (23) mostra que as chances de aprendizado dos alunos de escolas francesas variam de acordo com o meio social de onde eles vêm. Segundo o relatório, entre os países da OCDE, a França tem uma das correlações mais fortes entre o meio social de onde o aluno vem e o desempenho dele na escola.

O documento se baseia nos dados da avaliação PISA 2015, cujos resultados mostram que a variação dos resultados dos alunos em ciências é de 20% na França, a depender do meio socio-econômico do aluno. Entre todos os países da OCDE, essa variação é de 13% e a taxa chega a 8% em países como Noruega ou Estônia.

Nas escolas francesas, a média foi de 411 pontos para alunos de meios considerados desfavorecidos, enquanto aqueles de meios favorecidos conseguiram uma média de 558 pontos, o que significa 118 pontos de diferença. Na média dos países da organização, essa diferença é de 88 pontos. O estudo constata que "na França, essa distância representa o equivalente a quase quatro anos de escolaridade".

Sistema escolar em debate

O documento vai na mesma direção de uma pesquisa recente feita pelo Tribunal de Contas francês, que mostra que a política de educação prioritária, que tem por objetivo diminuir as desigualdades escolares ligadas às origens sociais dos alunos, não atingiu seus objetivos.

A publicação é divulgada poucos dias depois que um vídeo de um aluno apontando uma arma para uma professora em Créteil, na região metropolitana de Paris, viralizou nas mídias sociais e gerou um grande debate sobre o sistema escolar. Diversos professores têm se manifestado compartilhando experiências difíceis vividas com alunos e denunciando uma cultura de silenciamento das violências  por parte das direções das escolas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.