Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Deputados franceses votam emenda para reduzir imposto de quem abrigar refugiados

media Franceses que abrigarem refugiados pagarão menos impostos CC0 Pixabay/nattanan23

Os franceses votaram nessa semana uma emenda para instaurar um crédito de redução no imposto de renda de quem abrigar em casa um refugiado. A medida visa inseri-los mais facilmente na cultura francesa.

O valor é de € 5 por cada noite que o estrangeiro dormir na residência da pessoa, com o limite de € 1500 por ano. Para receber o crédito, é preciso que o imigrante tenha o status legal de refugiado e more na França há menos de um ano. Atualmente, o governo desembolsa € 17 por cada diária em centros de acolhimento.

A ideia é melhorar a integração dos imigrantes na cultura francesa. “As pessoas já abrigam estrangeiros pelas mais variadas razões. Com certeza, haverá mais gente abrindo suas portas para economizar € 5”, diz Anne, uma aposentada que, com seu marido, dão casa e comida a um refugiado afegão desde dezembro de 2017.

Medida pode “privatizar” a ajuda aos refugiados

“Os franceses querem se engajar num processo de solidariedade, é preciso que o governo reconheça esse engajamento”, explica o deputado do partido A República em Marcha da região de Val-d’Oise, Aurélien Taché, que votou a favor do projeto.

Já o deputado Jean-Louis Bricout, do Partido Socialista, critica o fato de que a medida tem tendência a privatizar a ajuda aos refugiados. “A França deve, efetivamente, acolher refugiados, que viveram sofrimentos em seus territórios, mas acho que o Estado é quem deve se ocupar disso”.

Em setembro de 2017, 244 refugiados foram recebidos em uma família francesa. Em dezembro de 2017, foram concedidas mais de 330.000 permissões para permanecer no território francês, o equivalente a 50 refugiados para cada 10.000 habitantes.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.