Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 12/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 12/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 12/12 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 12/12 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 12/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 12/12 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 09/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 09/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

França bate recorde com altas temperaturas durante outono

media Todos os lugares são bons para se aliviar da onda de calor como nas fontes próximas a torre Eiffel. REUTERS/Pascal Rossignol

O outono chegou na França, mas o país continua a bater recordes de temperatura para a temporada, normalmente mais fria. Após os altos termômetros da quinta-feira (11), a previsão é de que o fim de semana seja de muito calor em todo o país: 27 C° em Paris, 29 C° em Bayonne e 28 C° em Bordeaux.

“Está claro que esse 13 de outubro será excepcionalmente quente. 27 C° em Paris é mais quente do que a temperatura normal de verão na cidade”, disse o meteorologista Frédéric Nathan, entrevistado pelo site Franceinfo. “Estamos entre 8 e 10 graus acima dos valores habituais para a estação”.

 

A França bateu recordes de temperatura nesta semana: o último 11 de outubro foi o mais quente já visto durante esse período desde 1947. Os níveis de calor também foram ultrapassados localmente: 28,6 C° em Bourges, 25,6 C° em Nancy e 26,8 C° em Nevers. O “forno”, segundo Nathan, foi causado pela tempestade Callum, que veio da Irlanda.  

 

As altas temperaturas, no entanto, não devem durar, com a chegada da chuva na França. Os termômetros vão chegar aos 15 C° na maior parte do país e em torno dos 20 C° na parte mediterrânea. Mas Frédéric Nathan é categórico: o episódio de forte calor está ligado ao aquecimento global. “A tendência é bater cada vez mais esses recordes”, afirma.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.