Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/10 15h00 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Ao som de "Emmenez-moi", França homenageia Charles Aznavour

media França se despede de Charles Aznavour com emocionante homenagem na Esplanada dos Inválidos Christophe Ena/Pool via REUTERS

Cerimônia organizada pelo governo francês nesta quinta-feira (5) na Esplanada dos Inválidos, em Paris, teve a presença de mais de 2 mil pessoas, que vieram dar seu adeus a um dos maiores mitos da canção francesa.

Personalidades políticas, artistas, autoridades armênias, admiradores, parentes e amigos vieram aplaudir, pela última vez, Charles Aznavour, que morreu na segunda-feira (1), aos 94 anos. Em seu discurso, o presidente francês Emmanuel Macron disse que a obra musical do cantor faz parte do patrimônio francês e fez alusão à sua origem armênia.

 “Podemos nos tornar francês através do idioma. Foi através dele que Aznavour se tornou tão francês, e até mesmo parisiense, como ele mesmo dizia, usando as palavras para dar forma ao seu imaginário em uma identidade que não era a dos seus pais. Suas canções foram para muitos um bálsamo, um remédio, um reconforto”, declarou.

Diante da polêmica de que a família do cantor não queria uma homenagem, o Palácio do Eliseu, sede da Presidência francesa, informou que os parentes de Aznavour aprovaram a cerimônia oficial, na presença das autoridades armênias e aberta ao público. Uma tela gigante também foi instalada no exterior.

Durante a homenagem, o hino armênio e a Marselhesa foram entoados. O primeiro-ministro da Armênia, Nikol Pachinian, também esteve presente. Nascido por acaso em 1924 em Paris, Charles Aznavour, ou Shahnourh Varinag Aznavourian, era um dos representantes mais emblemáticos da diáspora armênia no mundo. Seus pais fugiram do país e estavam na França de passagem, esperando um visto para os Estados Unidos.

Enterro será no sábado

Charles Aznavour será enterrado no sábado em Montfort-Amaury, no oeste de Paris, em uma cerimônia reservada para os familiares. O caixão será colocado na tumba dos pais e de seu filho Patrick, que morreu aos 25 anos.

A morte do Frank Sinatra francês foi lembrada no mundo todo. O cantor morreu na segunda-feira, em sua casa no sudeste da França, depois de uma parada cardiorrespiratória. Ele esperava viver até os 100 anos e deixa sua esposa, Ulla, com quem viveu mais de 50 anos.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.