Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 15/12 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 15/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 15/12 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 14/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 14/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 14/12 14h00 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 14/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 14/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Rapper francês da canção “Enforquem os brancos” será julgado por incitar violência

media Nick Conrad no clipe "Enforquem os brancos" Capture d'écran YouTube

O rapper francês Nick Conrad, autor do clipe “Pendez les blancs” (“Enforquem os brancos”, em portugês), que provocou uma enorme polêmica no país, foi convocado ao tribunal em janeiro de 2019 para ser julgado, afirmou, nesta sexta-feira (28), seu advogado. Ele é acusado de “incitação direta a crimes contra a vida” e pode sofrer uma pena de cinco anos de prisão e € 45.000 de multa.

O cantor era desconhecido na França até a divulgação de seu vídeo há alguns dias, que provocou imediatamente diversas reações. “Haverá um processo e espero ser ouvido”, disse o artista. “Um texto deve ser interpretado com profundidade, não apenas superficialmente. Não volto atrás e não me arrependo do que disse, não acho que seja violento”.

Na canção, Nick Conrad incita a matar “bebês brancos”. “Peguem eles, enforquem seus pais”, canta. O clipe – que começou a ser retirado das diferentes plataformas de vídeos online – começa pelo que seria a cena final, com um homem branco enforcado e pendurado durante a noite, em um bairro da periferia de Paris.

Nas cenas seguintes, vemos ele sendo sequestrado com um saco de lixo na cabeça. Começa então minutos de tortura, com dois homens negros colocando o cano do revólver na boca da vítima. Eles deixam o homem fugir, e dão risadas ao dizer que “os brancos correm rápido”, antes alvejá-lo pelas costas.

Reações foram exageradas, segundo artista

“Cortem os membros, para divertir as crianças negras, grandes ou pequenas. Quero sentir o cheiro da morte e ver o sangue escorrer”. Com essas palavras, o vídeo filma um homem ter a cabeça esmagada na quina de uma calçada, em referência ao filme American History X. O clipe também traz uma citação do militante afro americano Malcolm X: “O preço para fazer com que os outros respeitem os seus direitos humanos é a morte”.

A classe política francesa criticou duramente o vídeo. O representante do partido de direita Os Republicanos no Senado, Bruno Retailleau, afirmou que “se algumas pessoas têm esse discurso, é porque existe uma certa forma de impunidade”. “É essa violência que alimenta o terrorismo”, ressaltou o político. O ministro do Interior da França, Gérard Collomb, lembrou que artistas como Nick Conrad possuem um público jovem e que “é dessa forma que pervertemos a sociedade da pior forma possível”.

Em uma entrevista ao jornal Le Parisien, o rapper afirmou que “quis inverter os papeis do homem branco e do homem negro”, além de ressaltar que “o choque era previsto, mas não a esse ponto”.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.