Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

França acusa Rússia de tentar espionar satélite que contém informações militares

media Rússia teria se aproximado demais de satélite francês (Ilustração) CC/Airbus Defence and Space/Wikimedia

A Rússia tentou, no ano passado, espionar um satélite franco-italiano contendo informações militares secretas, denunciou nesta sexta-feira (7) a ministra fancesa da Defesa, Florence Parly, num discurso sobre o espaço. Os Estados Unidos já tinham alertado recentemente sobre "o comportamento muito anormal de um objeto espacial" colocado em órbita pela Rússia em outubro de 2017.

"Enquanto o Athena-Fidus continuava sua tranquila rotação sobre a Terra, um outro satélite se aproximou um pouco perto demais", declarou a ministra durante uma visita ao Centro Nacional de Estudos Espaciais em Toulouse, sudoeste da França. "Esteve tão perto que poderíamos pensar que ele estava tentando captar nossos dados", acrescentou. Mas "tentar ouvir seus vizinhos não é apenas hostil, é chamado de ato de espionagem".

"O ‘orelhudo’ se chama Louch-Olymp, é um satélite russo bem conhecido, mas um pouco... indiscreto", continuou ela. "Nós o vimos se aproximar e tomamos as medidas necessárias. Observamos com atenção e constatamos que ele continuou a manobrar ativamente nos meses seguintes em direção a outros alvos, mas amanhã, quem nos garante que ele não voltará a um de nossos satélites?"

Florence Parly disse que há um risco para as comunicações, as manobras militares e os jornais da França. A ministra também ressaltou que "algumas potências espaciais colocam em órbita objetos intrigantes e realizam manobras que deixam pouca dúvida sobre sua vocação agressiva".

Investimentos na área espacial

O presidente norte-americano Donald Trump disse que vai lançar, até 2020, a “Força do Espaço”, um sexto setor das Forças Armadas. A decisão da Casa Branca “dá o sinal dos confrontos que virão, do peso da questão espacial, dos desafios do amanhã”, de acordo com Florence Parly. “Nós somos uma força espacial reconhecida e queremos permanecer. Mas não fizemos muito mais que nossos vizinhos. Em todo caso, não o suficiente”, criticou a ministra.

O presidente Emmanuel Macron anunciou sua intenção de definir no próximo ano "uma estratégia espacial de defesa” para a França. Um grupo de pesquisa do ministério da Defesa deve apresentar proposições até novembro. Já existe no país um orçamento de 3,6 bilhões de euros para investimentos na área espacial, que permitirão o financiamento e a renovação dos satélites franceses de observação e de comunicação, além da modernização do radar de controle espacial.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.