Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 24/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/06 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 23/06 09h33 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Macron e Merkel se reúnem para discutir aumento do nacionalismo na Europa

media Emmanuel Macron e Angela Merkel vão se reunir em Marselha. JANEK SKARZYNSKI / AFP

O presidente francês Emmanuel Macron se reúne nesta sexta-feira (7) com a chanceler alemã Angela Merkel. Estarão na pauta de discussões a recrudescência dos nacionalistas eurocéticos e a questão da imigração no bloco.

Macron vem se reunindo como vários líderes do continente em busca de aliados contra os nacionalistas eurocéticos. O presidente francês esteve na quinta-feira (6) em Luxemburgo, onde se encontrou com o primeiro-ministro do grão-ducado, Xavier Bettel, e os premiês da Holanda, Mark Rutte, e da Bélgica, Charles Michel.  

Nessa sexta-feira será a vez da líder alemã se encontrar com o presidente francês, em Marselha, no Sul da França. Merkel enfrenta uma onda nacionalista que a fragiliza dentro de seu próprio partido.

As discussões serão permeadas pela questão da crise migratória no bloco, usada frequentemente como argumento pelos eurocéticos, que criticam a política de portas aberta de alguns governos, entre eles o de Merkel. Uma entrevista coletiva conjunta está prevista no final do dia após a reunião.

Poucas horas antes do encontro, a ONG SOS Mediterrâneo pediu que França e Alemanha se unam para encontrar uma solução sobre o acolhimento dos migrantes resgatados em alto-mar. “A situação é urgente”, alertou Sophie Beau, diretora-geral da entidade. “Peço que os representantes dos dois países se mobilizem para implementar um mecanismo perene para aqueles que desembarcam”, completou, em referência aos refugiados que foram resgatados e que não puderam descer nos portos europeus.

No mês de junho, o ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, se recusou a acolher os migrantes nos portos da Itália, provocando fortes tensões entre os líderes europeus. A legislação em vigor no bloco impõe que a regularização e o acolhimento dos refugiados seja feito pelo primeiro país onde eles desembarcam

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.