Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 20/01 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 20/01 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 20/01 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 19/01 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 19/01 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 19/01 14h00 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 18/01 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 18/01 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Homem ataca policiais e os chama de “infiéis” em Nice

media Homem atacou policiais com estilete e os chamou de "infiéis" REUTERS/Benoit Tessier

Um homem de 29 anos foi detido por policiais na madrugada de domingo (17) para segunda (18) em frente à prefeitura de Nice, no sul da França. Ele ameaçou policiais municipais que estavam nas proximidades e fez apologia ao terrorismo.

O jovem estava filmando o prédio da prefeitura de Nice com um smartphone e entoando versos do Corão às 1h50 da manhã quando foi abordado por policiais. Quando eles se aproximaram do rapaz, foram ameaçados. “Vocês são todos infiéis, vou matá-los”, disse o agressor, que tentou atacá-los com um estilete e uma faca antes de ser imobilizado.

O caso ocorreu algumas horas depois de uma jovem ter ferido duas pessoas com um estilete num supermercado em Seyne-sur-Mer, perto de Nice. Vestida inteiramente de preto, a mulher atacou aos gritos de “Allah Akbar” (“Alá é grande”) um cliente que esperava na fila do caixa e uma funcionária da loja que tentou reagir.

A agressora passou por um exame psiquiátrico que a declarou “responsável por seus atos”. O psiquiatra que a analisou disse que haveria uma “redução de sua responsabilidade em razão de uma deficiência física nos quadris”, mas que ela estava consciente do que fazia. De acordo com diversas fontes presentes na hora do ataque, a jovem se dizia “casada com Alá” e afirmava que tinha recebido ordens sagradas para cometer o crime.

Até o momento, nenhum dos dois casos foi reconhecido ou ligado ao grupo terrorista Estado Islâmico. A França vem sofrendo uma epidemia de ataques dos chamados “lobos solitários”, que agem sozinhos segundo uma ideologia extremista religiosa.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.