Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/10 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 14/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 14/10 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

França: bloqueio de refinarias contra produtos importados é ilegal, diz governo

media Com o slogan: "Eu digo não aos acordos europeus de livre comércio com o Canadá e a América do Sul", agricultores franceses, membros da FNSEA, protestam perto da refinaria Total em Donges, na França. REUTERS/Stephane Mahe

O ministro da Agricultura francês, Stéphane Travert, disse nesta segunda-feira (11) que o bloqueio das refinarias francesas, que começou neste domingo (10), é ilegal. O movimento visa protestar contra a importação de produtos agrícolas que não são submetidos às normas europeias. Entre eles estão a carne brasileira, o óleo de palma e o vinho espanhol.

“Não é bloqueando as refinarias que encontraremos uma solução adequada”, declarou em entrevista à rádio francesa RTL. O movimento teve início depois que a petroleira Total foi autorizada pelo governo francês a importar cerca de 300 mil toneladas de óleo de palma para abastecer sua refinaria de biocombustíveis La Mède, situada na cidade de Châteauneuf-les-Martigues, no sudoeste da França.

O local, bloqueado por manifestantes, deve voltar a operar nesta segunda-feira (11). “É uma ação midiática que tem por objetivo alertar a opinião pública sobre as distorções da concorrência de nossos produtos em relação às mercadorias estrangeiras, que não respeitam o meio ambiente, nossas regras de produção e sem os mesmos encargos sociais”, disse o secretário-geral do sindicato FRSEA PACA, Patrick Lévèque.

Outras 13 refinarias registraram bloqueios hoje, em um movimento que tende a crescer. Os agricultores, que se uniram ao movimento, jogaram batatas e esterco para impedir o acesso ao depósito de combustível em Grigny, na região parisiense. Ações similares se multiplicam em todo o país.

A Total afirma que o óleo de colza, produzido na França, também será usado para abastecer as refinarias. Associações de proteção ao meio-ambiente afirmam que a produção do óleo de palma aumenta o desmatamento no sudeste da Ásia.

Os produtores também visam chamar a atenção para a concorrência desleal em relação a  produtos como o vinho espanhol ou a carne brasileira. Segundo a presidente do FNSEA, o principal sindicato dos agricultores franceses, Christiane Lambert,"na América do Sul, uma criação de gado pode chegar a 24.000 animais, enquanto na França um agricultor cria em média 80 vacas leiteiras, seguindo regras ambientais bem definidas", explicou.

Abastecimento é normal

A Total recomendou nesta segunda-feira (11) a seus clientes que “conservem seus hábitos de consumo”. A empresa afirma que seus estoques garantem o abastecimento normal dos postos de gasolina. Além disso, as estradas estão bloqueadas mas as entregas marítimas e por oleoduto estão funcionando normalmente. O grupo Total é responsável pela exploração de quatro das sete refinarias de petróleo bruto na França e administra mais de de 2.200 postos dos 11.000 existentes na França.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.