Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/05 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/05 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/05 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/05 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/05 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/05 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 20/05 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 20/05 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Homem ataca pedestres com faca no centro de Paris e deixa pelo menos um morto

media O ataque aconteceu no centro de Paris, no bairro da Opéra. Thomas SAMSON / AFP

Um homem armado com uma faca atacou pedestres no centro de Paris na noite deste sábado (12). De acordo com as primeiras informações divulgadas pelas autoridades francesas, pelo menos uma pessoa morreu e outras quatro ficaram feridas. O agressor foi abatido pela polícia. 

Segundo o chefe da polícia, Pierre Gaudin, "uma pessoa morreu vítima das facadas" e outras duas, gravemente feridas, foram transferidos para o hospital Georges-Pompidou. Duas outras vítimas tiveram ferimentos leves.  

O ataque aconteceu por volta das 21h no horário local (16h em Brasília). A agressão ocorreu na rua Monsigny, no 2° distrito de Paris, perto da Opera. A região é repleta de bares, restaurantes e teatros e é muito frequentada durante a noite. Vídeos postados nas redes sociais mostram várias pessoas correndo na rua logo após o ataque. 

Agressor teria gritado Allah Akbar

O agressor teria agido sozinho e suas motivações ainda são desconhecidas. A hipótese de um ataque terrorista não foi cogitada até agora, mas segundo testemunhas, o homem teria gritado "Allah Akbar", frase pronunciada em atos cometidos por extremistas religiosos.

Um importante perímetro de segurança foi instaurado na região, com vários carros de polícia e bombeiros. O ministro do Interior, Gérard Collomb, reagiu via Twitter, saudando “o sangue frio e a reatividade das forças da polícias, que neutralizaram o agressor”. "Nossa cidade foi ferida", declarou em seguida a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, antes de ir para o local do crime. 

Antes mesmo de uma confirmação sobre a motivação do crime, a presidente do partido de extrema-direita francês Frente Nacional, Marine Le Pen, exprimiu seu apoio à polícia que "neutralizou um agressor islamista em Paris". "O povo francês não vai mais se contentar com comentários. Ele espera atos", completou. 

A França vive em alerta desde os ataques terroristas de janeiro de 2015 no jornal satírico Charlie Hebdo, seguido dos atentados em novembro do mesmo ano visando a casa de espetáculos Bataclan e vários restaurantes em Paris. 

Vários episódios violentos foram registrados desde então. Em março deste ano, um ataque em Carcassone e Trèbes, no Sul do país, elevou para 245 o número de vítimas do terrorismo no território francês desde 2015.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.