Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 20/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 20/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 20/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 20/11 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 20/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 20/11 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 18/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 18/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Youtuber, filho de Carla Bruni, sofre ataques antissemitas na internet

media Aurélien Enthoven, filho de Carla Bruni e de Raphael Enthoven: vítima de ataques antissemitas. Captura de imagem

Aurélien Enthoven, filho da cantora com o filósofo Raphael Enthoven, foi agredido pelas redes sociais, depois de postar um vídeo produzido por ele mesmo contra o racismo.

Aurélien tem apenas 16 anos, e a capacidade intelectual de um sábio. Seu canal no YouTube, M-Gigantoraptor, tem mais de 35 mil seguidores, que apreciam seus vídeos sobre “a teoria da evolução, zoologia, paleontologia e ceticismo, além de críticas científicas e outras desmitificações”, segundo a apresentação do canal.

“Fazemos uma verdadeira cruzada contra o antievolucionismo, a desinformação e as teorias conspiratórias”, explica Aurélien.

Desmitificando o racismo

Na terça-feira (6), o adolescente, em parceria com o youtuber Penseur Sauvage (Pensador Selvagem, em português), publicou um vídeo antirracista no seu canal.

No programa de 23 minutos, Penseur Sauvage e Aurélien explicam os fundamentos do racismo baseados em princípios pseudocientíficos do século 19, e como o pensamento racista ainda tem graves consequências em níveis individual, cultural e institucional.

Ataques antissemitas

Pouco depois, começaram os ataques. Aurélien, paciente, copiou todas as agressões recebidas contra si, postando-as na sua página do Facebook.

Os comentários antissemitas contra Aurélien, que é filho da cantora e ex-primeira dama da França Carla Bruni-Sarkozy, foram também denunciados por seu pai, o filósofo e apresentador de programas de rádio e televisão Raphael Etnhoven.

Aurélien “foi vítima de inúmeros ataques antissemitas de uma violência absurda”, comentou Enthoven, garantindo que “os autores desses ataques, todos eles, vão se arrepender”.

Na Justiça

“Nós já prestamos queixa e, normalmente, deveremos encontrar o endereço IP dessas pessoas para que elas sejam punidas por injúria contra menor de idade, com o agravente de serem agressões de cunho racista”, disse o próprio Aurélien na segunda-feira (12), em entrevista a um programa de TV.

Além de milhares de mensagens de fãs e seguidores, Aurélien recebeu também uma mensagem de apoio da secretária de Estado para a Igualdade dos Homens e das Mulheres, Marlène Schiappa.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.