Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/08 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/08 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/08 09h33 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

França: onze vacinas se tornam obrigatórias para crianças a partir de hoje

media A ministra francesa da Saúde Agnès Buzyn RFI/Pierre-Rene Worms

Uma nova lei, aprovada em 2017, torna onze vacinas obrigatórias para crianças francesas nascidas a partir de 1 de janeiro de 2018.

Até o final do ano passado, as vacinas contra a coqueluche, sarampo, caxumba, rubéola, a hepatite B, a bactéria Haemophilus Influenzae e a meningite C eram apenas recomendadas. Apenas a tríplice bacteriana (difteria, tétano e coqueluche) integrava o calendário obrigatório de vacinação.

Em entrevista ao canal francês BFMTV, a presidente do Sindicato Nacional dos Pediatras franceses, Brigitte Virey, disse que obrigatoriedade vai “tranquilizar os pais”, e que a medida era necessária.

“A tendência apontava para uma diminuição da taxa de vacinação. É preciso uma adesão de 95% da população para que as pessoas fiquem protegidas”, diz. “No caso da meningite C, a cobertura era em torno de 40%, o que colocava em risco os bebês”, afirma.

A lei atinge apenas crianças que nasceram a partir de janeiro de 2018. Os pais que se recusarem a vacinar seus filhos podem pegar até seis meses de prisão e pagar uma multa de € 3750 (cerca de R$ 14.600) Além disso, as crianças que não apresentarem a carteira de vacinação em dia não poderão se inscrever nas escolas e creches públicas.

Polêmica

A decisão anunciada no ano passado pela ministra da Saúde Agnès Buzyn provocou uma grande polêmica. Metade dos franceses se disse contrário à nova medida, a tal ponto que o Ministério chegou a pensar em rever a proposta. No final, a a lei foi aprovada integralmente.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.