Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Paris: tigre de 200 quilos foge de circo e é morto pelo proprietário

media O tigre foi morto pelo próprio proprietário do circo (foto ilustrativa). Crédits : Jonathan & Angela Scot/ Getty Images

Um tigre de 200 quilos foi morto por seu proprietário nesta sexta-feira (24), em Paris, depois de escapar de um circo no 15° distrito da capital francesa. O caso gerou revolta entre os internautas, que pedem o fim da participação de animais em espetáculos circenses.

O animal fugiu no final da tarde. Os bombeiros foram chamados por moradores do bairro que viram o tigre circulando perto da empresa estatal de TV France Télévisions. O tráfego de um dos bondes elétricos que atravessa Paris chegou a ser interrompido, por segurança.

O animal foi morto pelo proprietário antes dos bombeiros chegarem, segundo a capitã Valérian Fuet. De acordo com ela, os tiros de fuzil foram dados em uma passagem, longe da rua, e não havia pedestres por perto. O tigre pertencia ao circo Bormann Moreno, que estrearia seu novo espetáculo no dia 3 de dezembro. O dono do circo foi detido para interrogatório.

 

Direitos dos animais

A fundação Brigitte Bardot se disse “escandalizada” com a morte do tigre, e pediu ao ministro da Transição Ecológica e Solidária, Nicolas Hulot, a proibição de animais nos circos.

A organização Peta denunciou um incidente "que prova mais uma vez que a utilização de animais selvagens em espetáculos ameaça a segurança pública". Segundo um comunicado, "a vida desse tigre foi ainda mais trágica do que sua morte: exibido como um objeto de diversão contra sua vontade em um picadeiro, forçado a executar números contrários à sua natureza". A ONG de proteção do meio ambiente também pede à prefeitura de Paris a proibição de circos com animais na capital, o que já é o caso de em mais de 60 cidades francesas.

A morte do tigre também repercutiu nas redes sociais na França e provocou revolta. Muitos internautas defenderam o fechamento de circos que detêm animais selvagens. Alguns questionaram porque o tigre não foi anestesiado em vez de ser baleado. O corpo do animal será levado para uma clínica para autópsia ou devolvido ao circo.

Twitter

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.