Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 26/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 26/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 26/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 26/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 26/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 26/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 25/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 25/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Para os franceses, triar o lixo é quase tão importante quanto votar

Para os franceses, triar o lixo é quase tão importante quanto votar
 
Uma greve de lixeiros ocorrida em junho de 2016, em Paris, inundou as calçadas da capital de sacos plásticos. AFP/Geoffroy Van Der Hasselt

Pesquisas realizadas na França mostram que triar o lixo doméstico é considerado o segundo gesto cidadão mais importante para os franceses depois de votar nas eleições. A preocupação com a reciclagem do lixo aumentou com a consciência de que o modo de vida consumista ocidental favorece o aquecimento global.

A coleta seletiva do lixo foi introduzida na França nos anos 1990, quando as prefeituras instalaram contêineres para depósito de papel, plástico, vidro e metais nas ruas. Em 30 anos, o sistema evoluiu bastante. Hoje, os franceses são estimulados a triar o máximo de produtos na hora da compra, adquirindo embalagens que podem ser recicladas.

Na casa de um francês, nos prédios residenciais e comerciais existem quatro tipos de lixeira diferentes, que são recolhidas em dias alternados da semana. São lixeiras padronizadas, geralmente de cor cinza com tampas distintas: preta, para o lixo orgânico; verde para vidro; amarela para plástico, papelão e metal. Em algumas cidades existem latas de lixo com tampa azul, para coleta exclusiva de jornais, folhetos de propaganda e papéis.

A coleta de entulho tem um tratamento diferenciado. Em Paris, por exemplo, o morador telefona à prefeitura e pede a passagem do caminhão num horário a combinar. O serviço é gratuito.

Em cidades menores, os moradores podem colocar o entulho na calçada na véspera da passagem do caminhão, previamente comunicada pela prefeitura. A coleta acontece em dias fixos da semana, geralmente duas vezes por mês. É quando se vê muita gente nas ruas à caça de um eletrodoméstico velho, um colchão usado, móveis e outros achados.

Francês produz muito lixo

Um francês produz em média 580 quilos de lixo por ano, o dobro do que 30 anos atrás. Ainda é menos do que um americano, com uma média de 700 quilos por ano, mas é quase o dobro do que há cinco anos.

Um terço do lixo gerado pelos franceses é composto de embalagens recicláveis, cerca de 200 quilos são resíduos orgânicos. O problema é que um terço ainda se perde, não tem solução de reciclagem.

Um dos maiores desafios cobrados hoje da indústria é que se possa reaproveitar sistematicamente tudo o que é produzido, a chamada economia cíclica. Na França, a indústria alimentícia desenvolveu embalagens recicláveis para praticamente tudo o que é vendido nos supermercados. O reconhecimento se faz por um selo verde. Mas alguns produtos ainda escapam a essa tendência, sobretudo certos tipos de plástico usados em utensílios de cozinha e brinquedos – a boneca americana mais famosa do mundo, por exemplo, que é vendida em grande quantidade na França, não pode ser reciclada. Materiais de construção e jardinagem também não são reaproveitados como deveriam, segundo especialistas.

Supermercados aboliram sacos plásticos finos

A França aboliu o saco plástico para transporte das compras nos supermercados. O cliente é obrigado a pagar por uma sacola reutilizável. Na área de frutas e legumes, voltaram os sacos de papel de padaria, reciclados. Mesmo assim, a França ainda poderia fazer bem mais nessa área: no ranking de 28 países da União Europeia, os franceses ocupam a 13ª posição em reciclagem. Alemanha, Áustria e Eslovênia são campeões. Os alemães reciclam cerca de 67% do que consomem, contra 45% na média europeia. Eslováquia, Romênia e Malta são os últimos da classe.

Eletrônicos

O lixo eletrônico virou um desafio no mundo inteiro, já que a indústria de eletroeletrônicos é uma das que mais cresce atualmente. A França produz anualmente 1,3 milhão de toneladas desse tipo de lixo. Pontos de coleta específicos recolhem esses objetos descartados.

O país conta com uma legislação rígida sobre a questão, mas, há alguns anos vem enfrentado um outro problema: a presença do bromo, um elemento altamente tóxico, em quase 40% de seus produtos. O pó proveniente da reciclagem do plástico bromado é potencialmente perigoso para a saúde, o que levou o governo francês a terceirizar a reciclagem para outros países.

Pilhas, remédios e roupas

A reciclagem das pilhas é muito simples: nas empresas, supermercados e outros pontos de venda existem pontos de coleta. As farmácias recuperam os remédios vencidos. Já as roupas podem ter dois destinos: dois contêineres, um para doação de roupas ainda em bom estado e outro para tecidos muito estragados, recebem as peças. Associações humanitárias examinam o material e despacham para doação ou diretamente para reciclagem do tecido ou do couro.


Sobre o mesmo assunto

  • Meio Ambiente

    Triagem incorreta do lixo é motivo de briga em boa parte dos casais franceses

    Saiba mais

  • Primeira nave reciclada chega à Estação Espacial Internacional

    Saiba mais

  • Imprensa

    Les Echos: Brasil descarta lixo "como um país subdesenvolvido"

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.