Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Macron visita ilhas caribenhas afetadas por Irma e rebate críticas

media Emmanuel Macron em Pointe-a-Pitre, Guadalupe. REUTERS/Christophe Ena

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o rei holandês, Willem Alexander, viajaram nesta terça-feira (12) para as ilhas do Caribe devastadas pelo furacão Irma para constatar a extensão "sem precedentes" dos danos e tentar amenizar o descontentamento dos habitantes diante da falta de organização.

O ministro britânico das Relações Exteriores, Boris Johnson, esteve nas Ilhas Virgens Britânicas e Anguilla. Londres também tem sido criticada pela gestão da catástrofe que deixou pelo menos 40 mortos no Caribe e na Flórida.

Os governos francês, holandês e britânico são acusados de demorar para enviar socorro e reforçar a segurança nas ilhas, mergulhadas no caos e, por vezes, entregues aos saques depois da passagem do furacão.

Ao chegar a Pointe-à-Pitre, na ilha francesa de Guadalupe, Macron alegou que "a antecipação foi total". O governo "respondeu logo que a informação foi dada, vários dias antes, e constantemente ao longo desta crise", assegurou o chefe de Estado à imprensa, ainda na pista do aeroporto.

Pontes aéreas e marítimas

"Retornar à vida normal é nossa principal prioridade", acrescentou Macron, que visitou ainda a ilha franco-holandesa de Saint Martin e francesa de Saint Barts, as duas mais afetadas pelo Irma.

O furacão Irma deixou pelo menos 11 mortos e vários desaparecidos nas ilhas francesas, bem como quatro na parte holandesa, de acordo com o último balanço oficial. O chefe de Estado declarou ser a favor da criação de uma comissão de inquérito parlamentar exigida por vários partidos da oposição.

Paris estabeleceu pontes aéreas e marítimas para retirar os mais vulneráveis e, no sentido contrário, para levar carga e comida para a área atingida. Cerca de 85 toneladas de alimentos, um milhão de litros de água e 2,2 toneladas de medicamentos já foram transportados.
   
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.