Ouvir Baixar Podcast
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 20/10 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 19/10 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 19/10 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 19/10 08h36 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 15/10 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 15/10 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Mercado de blocos de proteção contra atentados explode na França

media Polícia catalã patrulha mercado perto do local do atentado ocorrido em Barcelona,em agosto REUTERS/Sergio Perez

Desde o atentado de Nice, onde um caminhão invadiu o Passeio dos Ingleses e deixou 86 mortos em julho de 2016, o mercado de blocos de cimento que impedem a passagem de veículos não para de crescer na França.

Os atentados do grupo Estado Islâmico utilizando veículos se tornaram uma verdadeira ameaça. Além do recente ataque em Barcelona e Nice, Berlim também foi alvo de um ataque do gênero no ano passado, durante um mercado de Natal. Em Paris, os blocos foram usados na Champs Elysées e no evento Paris Plage - uma praia artificial construída pela prefeitura no centro da capital francesa durante o verão.

Mais de 1800 objetos desse tipo, que pesam entre 900 quilos e 2,4 toneladas, são usados atualmente no país e podem ser customizados de acordo com o gosto do cliente. A empresa líder do setor é a francesa Blocstop, em Bordeaux, que vende ou aluga os objetos para aumentar a segurança nas cidades e nos eventos.

Os aluguéis correspondem a 75% da atividade. O custo é entre 30 e 60 euros, incluindo a entrega. A ausência dos blocos foi notada no atentado em Barcelona, que deixou 16 mortos em 17 de agosto. No ataque, uma van invadiu a Rambla, uma das regiões mais turísticas da cidade, atropelando dezenas de pessoas.

Aumento da demanda

A empresa já fez a segurança de diversos eventos, entre ele o Carnaval de Dunkerque e Grande Prêmio de Fórmula 1. Com o aumento da demanda, o empresário, Abdel Feghoul, estima que ele deverá multiplicar por cinco a atividade da empresa, que hoje emprega apena seis pessoas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.