Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 26/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 26/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 26/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 26/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 26/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 26/09 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 24/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 24/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Aventura de viver sem geladeira vira livro na França

Aventura de viver sem geladeira vira livro na França
 
Se 99,6% dos franceses têm geladeira, a jornalista Marie Cochard é uma das poucas que vivem sem e bem. Reprodução

Você já imaginou viver sem geladeira? A corajosa experiência pode trazer benefícios ao meio ambiente e também para a sua saúde. Quem garante é a jornalista francesa Marie Cochard, que resolveu investir na ideia e conta os resultados no livro "Nossas Aventuras Sem Geladeira"*. A obra é uma sequência de "Tudo o que você pode fazer com as cascas dos alimentos"*, ambas com o objetivo de incentivar uma alimentação ecorresponsável.

A aventura de Marie Cochard começou há sete anos, quando estava grávida de seu primeiro filho, e perdura até hoje. Preocupada com sua alimentação e a do bebê, a jornalista passou a evitar os grandes supermercados e fazer suas compras em pequenos produtores, passando a consumir apenas produtos primários. "Foi daí que surgiu a ideia de escrever um livro de tudo o que poderíamos fazer com as cascas e restos de alimentos. Imaginei todos os tipos possíveis de reciclagem: chás, xaropes, produtos de beleza e diferentes receitas culinárias", contou à RFI.

A ideia do segundo livro surgiu quando a jornalista se deu conta que, ao comprar em menores quantidades e apenas alimentos que não passaram por transformação, a geladeira poderia ser dispensada. Paralelamente, Marie começou a pesquisar sobre como os estoques de comida eram feitos antigamente e o que poderia ser feito para otimizar a conservação deles. "Me dei conta que, ao fazer grandes compras em supermercados, deixamos muita coisa estragar, até porque as datas de validade dos produtos são muito curtas. A partir daí, comecei a me perguntar se é realmente necessário ter um refrigerador", diz.

"Vocês estão loucos!"

Mas, embora a experiência parecesse interessante para a jornalista francesa, amigos e familiares foram resistentes à ideia no começo. De fato, o eletrodoméstico parece indispensável aos franceses: 99,6% da população tem ao menos uma geladeira em casa. "Nossos amigos nos disseram: vocês estão loucos! Meus pais tinham medo do que poderia acontecer com meus filhos. Já meu marido pensou sobre o que aconteceria com as costelas de porco e cervejas geladas que adora", relembra.

No livro, a escritora diz ter consciência do quanto esse eletrodoméstico passou a ser indispensável, mas, ao mesmo tempo, ressalta que a geladeira foi criada há pouco mais de cem anos e, antes disso, as pessoas se alimentavam sem a necessidade de ter um espaço refrigerado. "Eu sei que é quase uma performance viver sem geladeira na França. Por isso tento mostrar ao leitor todas as pequenas técnicas e astúcias de antigamente. Como, por exemplo, guardar as maçãs em prateleiras ou caixas, separadas por rolhas, ou deixar secar os caquis, que ficam deliciosos. Também dou dicas muito simples de fermentação e esterilização e informações mais elaboradas, como, por exemplo, fazer seu próprio presunto."

A ideia, segundo a escritora, não é apenas abolir a geladeira, mas encontrar uma alimentação equilibrada e sem desperdícios. "Quanto menos compramos, mais nos preocupamos em consumir os produtos que temos naquele momento. Ou seja, o contrário do que fazemos hoje, que é encher nosso carrinho de compras e estocar tudo em nossa geladeira como se ela fosse um armário", reitera.

Isso sem falar na economia energética e nos benefícios para o meio ambiente, já que, dependendo do tamanho e do modelo, uma geladeira consome entre 250 kW e 530 kW por ano. No livro, Marie Cochard também lembra que os gases presentes em refrigeradores, conhecidos como hidrofluorcarbono ou HFC, são extremamente prejudiciais ao meio ambiente e, segundo o Acordo de Paris Sobre o Clima, têm previsão até mesmo de deixar de serem utilizados. "Não sei como as coisas vão evoluir no plano político, mas acredito que cada um deve tentar fazer sua parte. Eu faço a minha parte em casa e tento compartilhar todas essas descobertas em meus livros. Quanto mais gente aderir à ideia menos desperdiçaremos e mais benefícios traremos ao planeta e à nossa saúde."

* "Nos aventures sans frigo... ou presque" (Nossas Aventuras Sem Geladeira, tradução livre) chega às livrarias francesas no dia 7 setembro. "Les épluchures: Tout ce que vous pouvez en faire" (Tudo o que você pode fazer com as cascas dos alimentos, tradução livre) existe em francês em livrarias da França, Suíça, Bélgica, Luxemburgo. Também foi traduzido para o italiano e pode ser comprado em livrarias online.


Sobre o mesmo assunto

  • Meio Ambiente

    Francesas dão dicas ecológicas para alimentação e limpeza da casa

    Saiba mais

  • Linha Direta

    Dinamarca lidera guerra contra desperdício de alimentos

    Saiba mais

  • Meio Ambiente

    Apesar do desperdício, levar restos de comida para casa é tabu na França

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.