Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 21/07 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 21/07 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/07 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Motoristas na França vestem saia para enfrentar o calor

media Motoristas de ônibus e de VLT no oeste da França protestaram contra a proibição do uso de bermudas no trabalho. CFDT Semitan

Um grupo de motoristas franceses foi trabalhar nesta quarta-feira (21) vestindo saias. A medida foi um protesto contra as normas impostas por uma empresa de transportes, que proíbe que os homens vistam bermudas, apesar das altas temperaturas registradas no verão. Os termômetros ultrapassaram 35°C em boa parte do país, pelo segundo dia consecutivo.

Como trabalhar quando as temperaturas se aproximam dos 40°C? Com a onda de calor excepcional que atinge a França e vários países europeus atualmente, cada um faz como pode. Em uma região do mundo onde o ar condicionado é bem menos popular que no Brasil ou nos Estados Unidos, as mulheres adotam vestidos mais leves e alguns homens tentam driblar o calor com camisas mais amplas ou até vestindo bermudas.

Porém, em algumas áreas os responsáveis pelos códigos de vestimenta não parecem se sentir afetados pela alta dos termômetros. É o caso da empresa de ônibus e VLT SEMITAN, na cidade de Nantes, no oeste da França, que, apesar de vários pedidos de seus motoristas, proíbe o uso de bermudas pelos homens. “Em período de calor extremo, como o que vivemos agora, as temperaturas chegam perto dos 50°C dentro dos ônibus”, explicou para a rádio France Info Gabriel Magner, representante sindical na SEMITAN.

Ele ressalta que “as motoristas podem vestir uma saia”, mas para os homens não há opção. Foi pensando nesse detalhe, que os sindicatos veem como uma forma de discriminação, que seis condutores decidiram emprestar algumas peças do vestiário das colegas e colocar as pernas de fora.

"Usei saia o dia inteiro e foi bem agradável"

“Nossa direção nos proíbe de vestir bermudas, pois considera que essa roupa não é adaptada à nossa profissão, então decidimos provocar e vir trabalhar de saia, um traje autorizado para as condutoras de ônibus”, resumiu Didier Sauvetre, outro motorista ligado à CFDT. “Eu usei uma saia o dia inteiro e posso dizer que com as temperaturas que tivemos hoje, foi bem agradável”, contou Magner, que posou ao lado dos colegas para fotos que viralizaram nas redes sociais na França.

O protesto dos condutores franceses lembra uma manifestação feita por maquinistas suecos, em 2003. Na época, alguns condutores foram trabalhar vestindo saias para contestar o regulamento que proibia o uso de bermudas. Após a ação, a companhia ferroviária mudou as regras e as pernas de fora já são aceitas entre os maquinistas dos trens suecos.

A CFDT reivindica a autorização das bermudas para os motoristas da SEMITAN em dias de calor desde 2013. Mas a direção da empresa mantém sua posição, alegando que o clima em Nantes é temperado. A cidade registrou temperaturas de 33°C nesta quarta-feira.

A forte onda de calor deve continuar pelo menos até esta quinta-feira (22) na França. Mais de 60 regiões do país foram colocadas em alerta.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.