Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/06 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/06 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/06 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/06 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/06 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/06 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

França: Front Social organiza manifestações contra governo Macron

media Manifestação feita no dia seguinte da eleição presidencial chamada pelo coletivo "Front Social" e sindicatos em 8 de maio de 2017. Lionel BONAVENTURE / AFP

Dezenas de cidades vão sediar manifestações do Front Social nesta segunda-feira (19) na França, contra o governo do presidente eleito Emmanuel Macron, que enfrenta seus primeiros protestos desde a posse.

O Front Social reúne 70 organizações, coletivos e outras associações que lutam contra a violência policial. Os protestos ocorrem em 29 cidades. Entre elas, Paris, Lille, Marselha e Grenoble.

O organismo classifica as reformas de Macron de “plano de destruição social” do governo. Para o coletivo, a abstenção recorde no segundo turno das eleições legislativas, de 57%, não legitimam Macron.

O coletivo também pede que as organizações sindicais se organizem contra a reforma do Trabalho proposta pelo governo. Para isso, a legislação seria alterada para facilitar a utilização de decretos-lei. Uma das medidas principais também prevê que os acordos assinados entre a direção de uma empresa e as representações sindicais prevaleçam nas negociações entre patrões e empregados, em detrimento até mesmo do Código Trabalhista.

Esse já é o caso da carga horária hoje e, no caso das mudanças propostas por Macron, pode também ser aplicado às reivindicações salariais por exemplo. Em Paris, o protesto está previsto para começar às 18h na praça da Concórdia, em frente à Assembleia Nacional, que receberá na próxima quarta-feira (28) os novos deputados eleitos.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.