Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 18/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 18/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 18/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 18/11 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 17/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 17/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Marine Le Pen celebra passagem para o segundo turno e diz ser “a candidata do povo”

media Marine Le Pen au soir du premier tour de la présidentielle, à Hénin-Beaumont, le 23 avril 2017. REUTERS/Pascal Rossignol

 A líder da extrema-direita francesa Marine Le Pen celebrou na noite deste domingo (23) o resultado do primeiro turno da eleição presidencial. Ela vai disputar o segundo turno com o ex-ministro da Economia, Emmanuel Macron.

Uma hora após ter sido qualificada para o segundo turno da eleição presidencial francesa, Marine Le Pen convocou todos os eleitores “patriotas sinceros” para se unirem. Para a líder da extrema-direita, o resultado do primeiro turno é um momento histórico, pois pode marcar uma “grande alternância de poder" no cenário político do país. “Essa é uma oportunidade única de combater a globalização”, declarou a chefe do partido Frente Nacional (FN), que diz ser “a candidata do povo”.

Segundo os primeiros resultados, Marine Le Pen obteve 21,7% dos votos, atrás de Macron, que conquistou 23,7% do eleitorado. Eles deixam para trás o ex-primeiro-ministro conservador, François Fillon, e o líder da esquerda radical, Jean-Luc Mélenchon, empatados com cerca de 19% dos votos.

Durante seu discurso, a líder do FN disse ser uma verdadeira opção para combater o ex-ministro da Economia, que ela qualifica de “herdeiro do presidente François Hollande”. Para ela, “a sobrevivência da França está em jogo”.

"Os franceses vão ter que escolher entre uma França sem fronteiras e uma França que protege seus empregos, a segurança e a identidade nacional", declarou Le Pen. 

Aos 48 anos, a filha do líder histórico da extrema-direita Jean-Marie Le Pen soube capitalizar a insatisfação dos franceses com o desemprego e a imigração. A candidata aproveitou a onda nacionalista na Europa para se transformar em uma das favoritas das eleição presidencial. 

Protestos contra resultado nas ruas de Paris

Menos de duas horas após a divulgação do resultado, centenas de manifestantes se reuniram na praça da Bastilha, no leste de Paris, em protesto contra a qualificação de Marine Le Pen para o segundo turno da eleição. Os grupos mascarados, que se apresentavam como “antifascistas”, atiraram objetos contra a polícias.

A manifestação, batizada “noite das barricadas”, vinha sendo anunciada nas redes sociais. A circulação de carros foi interrompida na região.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.